Sessões de Ramadan com Shaikh Ibn Uthaimin (Dia 24)

Dia Vinte e Quatro: Da Descrição do Povo do Paraíso

Meus irmãos: Vocês ouviram a descrição do Paraíso e suas bênçãos e o que ele contém de felicidade. Por Allah, é isso que as pessoas devem competir para alcançar e o que devem passar a vida inteira buscando.

Como Allah (subhanahu wa taala) diz: “E apressai-vos para um perdão de vosso Senhor e para um Paraíso, cuja amplidão é a dos céus e da terra, preparado para os piedosos, que despendem, na prosperidade e na adversidade, e que contêm o rancor, e indultam as outras pessoas - e Allah ama os benfeitores – e que, quando cometem obscenidade, ou são injustos com si mesmos, lembram-se de Allah e imploram perdão de seus delitos - e quem perdoa os delitos senão Allah? - e não se obstinam no que fizeram, enquanto sabem.” [3:133-135]

Esta é a descrição das pessoas do paraíso:

Primeiro: “os piedosos” Estes são os que temem seu Senhor, e temem o castigo na vida após a morte, e fazem o que lhes é ordenado obedientemente, na esperança de serem recompensados.

Segundo: “que despendem, na prosperidade e na adversidade”, esses são os que gastam o que lhes é ordenado do zakah e da caridade, e gastam naqueles que têm direito ao dinheiro e no Jihad e em outros caminhos do bem. Essas pessoas gastam em prosperidade e não amam o dinheiro, e gastam em adversidade sem medo de precisar do dinheiro.

Terceiro: “que contêm o rancor”, são aqueles que controlam sua raiva e, quando ficam com raiva, não prejudicam os que estão à sua volta.

Quarto: “e indultam as outras pessoas”, são os que perdoam aqueles que os prejudicaram. Então Allah diz: “e Allah ama os benfeitores”. Isso mostra que aqueles que perdoam os outros são dos benfeitores porque desejam estabelecer bons laços entre as pessoas, como Allah diz: “E quem a indulta e se emenda, seu prêmio impenderá a Allah” [42:40].

Quinto: “quando cometem obscenidade, ou são injustos com si mesmos, lembram-se de Allah e imploram perdão de seus delitos”. A obscenidade é dos pecados principais, como matar alguém injustamente, desobedecer a seus pais, ou cometer zina, roubar ou tomar o dinheiro dos órfãos, gastar em usura e outros pecados graves. O pecado que os faz injustos com si mesmos é o pecado menor. Portanto, se uma pessoa comete um pecado maior ou menor, lembra-se da grandeza d’Aquele a Quem desobedeceu e sente medo, então ela se lembra do perdão e da misericórdia d’Ele, então corre para Ele e, por essas razões, é perdoada. Como Allah diz: “e quem perdoa os delitos senão Allah?”. Isso mostra que elas não buscam perdão a não ser de Allah, porque ninguém mais pode perdoar além d’Ele.

Sexto: “e não se obstinam no que fizeram, enquanto sabem”, o que significa que não continuam cometendo o pecado enquanto sabem que é pecado e conhecem a grandeza d’Aquele a Quem desobedecem. E Allah (SWT) diz: “Com efeito, bem-aventurados os crentes, que são humildes em suas orações, e que dão de ombros à frivolidade, e que concedem az-zakah. E que são custódios de seu sexo, exceto com suas mulheres, ou com as escravas que possuem; então, por certo, não serão censurados. E quem busca algo, além disso, esses são os transgressores – e que respeitam fielmente seus depósitos, a eles confiados, e honram seus pactos, e que custodiam suas orações. Esses são os herdeiros, que herdarão Al-Firdaus. Nele, serão eternos.” [23:1-11]

Esses versículos nobres combinaram muitas descrições das pessoas do Paraíso.

Primeiro: “os crentes” – Estes são os que acreditam em Allah e todas as obrigações da fé, desde os anjos, Livros, mensageiros, o Último Dia e Decreto Divino, seja bom ou ruim, eles acreditam em tudo isso e praticam-no em seus ditos e ações.

Segundo: “que são humildes em suas orações” – seus corações estão presentes nelas e eles sentem como se estivessem entre as mãos de Allah (SWT) falando com Ele com Suas Palavras, e se aproximando d’Ele com Sua Lembrança, e eles suplicam a Ele, então, são humildes.

Terceiro: “e que dão de ombros à frivolidade” – a conversa fútil é tudo que não tem benefício e não há nada bom no que é dito ou feito; portanto, eles se afastam disso, de sua força e vontade de não perder tempo. Assim como eles fazem sua oração cheia de humildade, eles tornam seu tempo cheio de benefícios.

Quarto: “e que concedem az-zakah” - eles pagam o que lhes é obrigatório e essa é uma maneira de purificar seus ditos e ações.

Quinto: “E que são custódios de seu sexo, exceto com suas mulheres, ou com as escravas que possuem; então, por certo, não serão censurados”. – eles protegem sua modéstia de cometer zina e também de tocar e ver. “Então, por certo, não serão censurados” mostra que é permitido que eles estejam com suas esposas e com o que sua mão direita possui, “E quem busca algo, além disso, esses são os transgressores” mostra que a masturbação não é permitida, porque o versículo apenas menciona as esposas e o que a mão direita possui.

Sexto: “e que respeitam fielmente seus depósitos, a eles confiados, e honram seus pactos” – eles fazem o que prometem no tempo prometido, com as condições prometidas. Allah mencionou a descrição do povo do Paraíso em muitas partes diferentes do Qur’an. Allah os menciona para que quem deseja ir para o Paraíso conheça seus requisitos.

Há também muitos ahadith descrevendo as pessoas do Paraíso.

O Profeta (sallallaahu 'alayhi wa sallaam) disse: “Não há ninguém entre vós que faça wudu’, e depois diga: ‘Testemunho que não há deus exceto Allah, sem parceiros, e testemunho que Muhammad é seu Servo e Mensageiro’ exceto que os oito portões para o Paraíso serão abertos para ele, e ele poderá entrar de qualquer um que desejar.” (Muslim)

Também: “Quem segue o Mu'athin com o seu coração entra no Paraíso”. (Muslim)

Também: “Quem constrói um masjid com a intenção de buscar o Rosto de Allah, Allah constrói para ele uma casa na Jannah.” (Muttafaq ‘alayh)

Além disso, “São cinco as orações que Allah prescreveu aos servos, quem as executa sem perder nenhuma delas e [completando] seus direitos, ele terá uma promessa com Allah de que entrará na Jannah”. (Ahmad, Abu Dawud, Nisai).

Thawban (radiallaahu anhu) perguntou ao Profeta (sallallaahu 'alayhi wa sallaam) sobre um ato que o faria entrar no Paraíso. O Profeta (sallallaahu alayhi wa sallaam) disse: “Aumentar o sujud é-te prescrito, pois, de fato, não fazes um sajda para Allah exceto que Allah te eleva em estatuto e limpa os teus pecados.” (Muslim)

O Profeta (sallallaahu alayhi wa sallaam) disse: “Não há servo muçulmano que reze a Allah 12 rakaat de orações extra sem que Allah construa para ele uma casa na Jannah.” (Muslim)

E eles (os rakaat) são quatro antes de dhuhur e dois depois dele, dois depois de Maghrib, e dois depois de Isha, e dois antes de Fajr. Muadh ibn Jabal pediu ao Profeta (sallallaahu alayhi wa sallaam) que lhe dissesse sobre uma ação que o aproximaria do Paraíso e o manteria longe do Fogo. O Profeta (sallallaahu alayhi wa sallaam) disse: “Perguntaste sobre um grande assunto e, de fato, é fácil para quem Allah facilita, adora a Allah e não associa a Ele nenhum parceiro, estabelece as orações e concede o zakah, e faz o Hajj…” (Ahmad, classificado Sahih por Tirmidhi)

O Profeta (sallallaahu alayhi wa sallaam) disse: “A Umrah até à outra Umrah é um perdão pelo que há entre elas e um Hajj Mabrur não é recompensado exceto com a Jannah." (Muttafaq ‘alayh).

O Profeta (sallallaahu alayhi wa sallaam) foi questionado sobre o que fará com que as pessoas entrem na Jannah com mais probabilidade. Ele disse: “Taqwah de Allah e boas maneiras.” (Tirmidhi e Sahih de Ibn Habban)

Estes ahadith nos mostram muitas ações do povo do Paraíso, para quem deseja alcançá-lo. Pedimos a Allah que facilite nosso caminho para a Jannah.

Continua, dia vinte e cinco: clique aqui


You have no rights to post comments

Console de depuração do Joomla!

Sessão

Informação do perfil

Memória Utilizada

Consultas ao banco