Formas de Lidar com a Ansiedade e as Preocupações

Acompanhar com fé as boas obras

Allah (Louvado seja) disse: “A quem faz o bem, seja varão ou varoa, enquanto crente, certamente, fá-lo-emos viver uma vida benigna. E Nós recompensá-lo-emos com prêmio melhor que aquilo que faziam” (An-Nahl, 16:97)

A razão para isso é clara: os crentes, cuja fé é correta e são motivados a realizar obras piedosas, aqueles que reformam seus corações e suas características e mudam suas vidas neste mundo e no próximo, têm princípios básicos com os quais lidam com as alegrias e sofrimentos que enfrentam. Recebem a alegria e a bênção com agradecimento e as usam de formas úteis e benéficas. Quando fazem isso, sentem felicidade e esperança duradoura, que lhes trará uma recompensa por sua gratidão, assim como outras coisas que excedem o bem original que as motivou.

Quando enfrentam situações de angústia e ansiedade tentam resisti-las e reduzi-las tanto quanto podem, reagindo com apropriada paciência perante coisas pelas quais não têm opção (poder de modificar). Isso lhes traz benefícios como resultado, como, por exemplo: resistência, experiência, vontade e determinação, esperança e muitas outras qualidades de caráter que reduzem a angústia que sentem. Assim, sua ansiedade é substituída por alegria e a esperança na recompensa de Allah. O Profeta Muhammad (saws) afirmou em um relato autêntico: “Quão maravilhosa é a vida do crente; tudo o que lhe ocorre é bom, e isto não se aplica a ninguém a não ser ao crente. Se algo bom lhe acontece, vive com agradecimento; e isto é bom para ele. Se algo mau lhe acontece, suporta com paciência; e isto é bom para ele”.

Esta é a forma na qual podemos ver as calamidades de uma ótica positiva. Outro exemplo é:

Como podemos, nós, muçulmanos, expiar nossos pecados, purificar nossos corações e elevar nosso estatuto espiritual, quando nos vemos afetados pela angústia e as calamidades desta vida?

O Mensageiro de Allah ? disse: “Nenhuma fadiga, doença, angústia, preocupação, dor ou prejuízo ocorre a um muçulmano, nem sequer a picada de um espinho, sem que Allah lhe expie alguns de seus pecados”.

De acordo com outro relato compilado por Muslim: “Nenhuma doença, fadiga, dor ou sofrimento acontece a um muçulmano, nem sequer uma preocupação, sem que isso seja, para ele, uma expiação de seus pecados”.

Quem está angustiado ou preocupado deve saber que, seja qual for a dor psicológica que o afete, não será em vão. Mas, sim, servirá um propósito que incrementará suas bênçãos e lhe expiará algumas faltas. O muçulmano deve se dar conta que, se não fosse pelos desastres e aflições, chegaríamos de mãos vazias no dia da Ressurreição, como alguns de nossos predecessores honrados disseram, e esta é a razão pela qual eles regozijavam quando algum infortúnio os afetava, tal como nós o fazemos em tempos de bonança.

Quando uma pessoa compreende como os desastres que acontecem ajudam a crer e expiar suas faltas, regozija-se e se mantém com bom humor, especialmente se isso acontece após haver cometido algum erro, como aconteceu a alguns dos companheiros do Profeta, que Allah esteja satisfeito com eles.

Abdullah Bin Mugháffal (raa) relatou que um homem se encontrou com uma mulher que havia sido prostituta durante o tempo da ignorância pré-islâmica. Começou a perturbá-la e a tocá-la. Ela disse: “Tenha cuidado! Allah destruiu o paganismo (Affan disse: destruiu a ignorância anterior ao Islam) e nos trouxe o Islam”. O homem se foi e se atirou contra uma parede, ferindo-se no rosto. O Profeta Muhammad (saws) chegou, então o homem contou o que havia acontecido e ele (saws) respondeu: “És um servo de Allah a quem Ele deseja o bem. Quando Allah deseja o bem a seu servo, apressa-se a castiga-lo por seus pecados; e quando não deseja o bem, retém o castigo que merece até que já não haja mais retorno, no Dia da Ressurreição, quando todos os pecados serão mostrados junto dele”.

O Profeta Muhammad (saws) disse: “Quando Allah deseja o bem para alguém, apressa-se no castigo que mereça neste mundo, e se não o auxilia, então o retém até que deva lidar com seus pecados no Dia da Ressurreição”.

Compreender a realidade deste mundo

O crente sabe que este mundo é apenas temporário, que seus prazeres são poucos e que o que quer que lhe compraza aqui sempre será incompleto e imperfeito. Se este mundo lhe provoca alguma alegria, dá, por outro lado, muitas razões para chorar; se lhe proporciona um pouco, retém-lhe um pouco mais. Como o Mensageiro de Allah ? disse: “Este mundo é uma prisão para o crente e o Paraíso é a prisão do incrédulo”.

Este mundo é também fadiga, dor, miséria e sofrimento, portanto, o crente encontra alívio quando se livra dele. Abu Qatada Bin Rib’i al Ansari (raa) relatou que um funeral passou próximo do Mensageiro de Allah (saws) e ele disse: “Agora ele está aliviado e as pessoas se sentem aliviadas por ele”. As pessoas perguntaram: “Ó Mensageiro de Allah, como pode estar aliviado e as pessoas aliviadas por ele (saws)” Ele (saws) respondeu: “O crente se alivia da fadiga e dor deste mundo e parte para encontrar a misericórdia de Allah; enquanto, quando o rebelde morre, as pessoas, a terra, as árvores e os animais se sentem aliviados com sua ausência”.

Para o crente, a morte traz um alívio da angústia, preocupações e sofrimento desta vida, como foi confirmado no relato: "Quando o crente está próximo de sua morte, o anjo da misericórdia traz uma seda branca e lhe diz: ‘Saia com alegria, com a complacência de Allah sobre ti, siga para Sua misericórdia, pois teu Senhor não está com raiva de ti’. Então, a alma sai com a fragrância do almíscar e os anjos a circundam e a levam à porta do céu. Eles dizem: ‘Quão boa é esta fragrância que vem da Terra’. Eles a levam às almas dos crentes, regozijam-se por elas muito mais quando tu o fazes quando alguém querido regressa. Perguntam: ‘Que fulano de tal fez?’. E os anjos dizem: ‘Deixem-no em paz, porque ele sofreu as penalidades deste mundo’. E quando ele pergunta: ‘Vistes fulano de tal, a quem eu conhecia?’, eles respondem: ‘Ele foi levado a seu lar no poço (do Inferno)’. E quando o incrédulo está próximo de sua morte, os anjos do castigo trazem um saco de aniagem e dizem: ‘Saia com tristeza, com a ira de Allah sobre ti, rumo ao seu castigo’. Então, a alma sai com um odor de carne putrefata, e eles o levam até as portas da Terra. ‘Quão podre cheira esta alma’, dizem os anjos, até que se reúne com as demais almas dos incrédulos".

Esta compreensão da ralidade deste mundo facilita ao crente suportar as aflições, dores, angústias e ansiedades, porque ele sabe que são uma parte inevitável e inerente à natureza desta vida.

Seguir os exemplos dos profetas e das pessoas honradas

Os profetas e as pessoas honradas sofrem mais angústias e penúrias neste mundo que o resto das pessoas. Cada pessoa é provada de acordo com a força de sua fé. Quando Allah ama uma pessoa, Ele põe-na em prova. Sa’d (raa) perguntou ao Profeta ?: “Ó Mensageiro de Allah, quais são as pessoas que mais sofrem angústias?”. Ele respondeu: “Os profetas e, logo, os seguintes em estatuto. Cada pessoa será provada de acordo com a força de sua fé. Se sua fé é forte, então a angústia com a que será provada será grande; se sua fé é frágil, será provada de acordo com ela. As angústias seguirão afetando a pessoa até que caminhe pela face da Terra livre de pecados”.

Transformar a próxima vida em nosso maior interesse 

Os interesses deste mundo superam e confundem as pessoas, mas se aquela transforma a próxima vida em seu principal interesse, Allah (louvado seja) o ajudará a concentrar-se e ter determinação. Annas (raa) narrou: “O Mensageiro de Allah (saws) disse: 'Quem fizer da próxima vida seu principal interesse, Allah encherá seu coração com um sentimento de satisfação e independência; estará concentrado e se sentirá contente, e este mundo se tornará fácil para ele. Mas, quem transformar este mundo em seu principal interesse, Allah fará com que sinta medo constante da pobreza; estará distraído e disperso, e não terá nada deste mundo, exceto o que já estava predestinado a ele.'

Ibn al Qayim (rahimahullah) disse: "Quando uma pessoa gasta seu dia completo sem outro interesse, exceto Allah, Ele, Glorificado e exaltado seja, cuidará de todas as suas necessidades e de tudo o que a preocupa; esvaziará seu coração para que possa se encher do amor a Ele, libertará sua língua para que possa se dedicar à recordação de Allah, e fará com que todas suas faculdades trabalhem em obediência a Ele. Mas, se a pessoa gasta seu dia inteiro sem outro interesse que não seja este mundo, Allah a fará suportar angústias, ansiedade e dor; deixá-la-á irredutível, e fará com que seu coração esteja distraído do amor a Ele e seu amor estará sobre as coisas criadas, fazendo com que sua língua esteja ocupada com as coisas deste mundo, e fazendo com que suas faculdades estejam escravizadas às coisas deste mundo. Todo aquele que se afasta de ser um verdadeiro servo de Allah e de obedecê-Lo e amá-Lo, será sobrecarregado com esta escravidão, amor e obediência a este mundo. Allah disse:

Mas a quem menosprezar a Mensagem do Clemente destinaremos um demônio, que será seu companheiro inseparável’ (az-Zukhruf, 43:36)."

 


You have no rights to post comments