بِسْمِ اللهِ الرَّحْمٰنِ الرَّحِيْمِ

Em Nome de Allah o Clemente, o Misericordioso

 

É a manhã seguinte depois do Ramadan. O Takbir à distância soa o chamado para a oração. Os muçulmanos apressam os passos, juntos, gravitando em direção à mesquita. Como é que se sente depois do mês do Ramadan?

 

 

Aquele mês sagrado, em que o Shaitan esteve acorrentado e a única coisa que o impedia de dedicar-se às boas ações era a sua alma. E agora, nesta manhã seguinte, como é que as suas ações estão a manifestar-se na sua vida?

 

Os sábios dizem que o ‘Eid é o rigoroso teste para o Ramadan. O que quer que aconteça no ‘Eid, a forma como a pessoa se comporta, como ela organiza os seus pensamentos, é uma reflexão da forma como o Ramadan se desenrolou para ele ou ela.

 

O efeito cascata de boas ações vs. más ações é também um sinal revelador de como o Ramadan mudou uma pessoa. Se uma boa ação for seguida de outra boa ação, esta pessoa está dentre aquelas que se comprometaram com sucesso à iluminação espiritual ao longo do Ramadan.

 

Nunca é tarde demais para se mudar de direção, contudo, e para queles que sentem que foram bem sucedidos ao longo do Ramadan, há certamente uma chance de continuarem no ciclo das boas ações, mesmo depois do Ramadan. Aqui estão algumas dicas para continuar a ser o melhor dos muçulmanos.

 

Aprecie e Recorde-se da Importância do Jejum

Não há nenhum outro momento como o Ramadan, sendo este o pilar do Islam que nos exige que nos dediquemos ao jejum por um mês. Porém, os benefícios do jejum estendem-se ao longo do ano.

 

Inicia-se primeiro com os seis dias de Shawwal logo no segundo dia do mês. O Profeta Muhammad (que a paz esteja com ele) disse:

Todo aquele que jejua no mês do Ramadan e segue isso com seis dias de jejum no Shawwal será como se tivesse jejuado por toda a sua vida. [Muslim]

 

Para além disso, existem outras oportunidades para se jejuar ao longo do ano:

Jejuar três dias de cada mês é equivalente ao jejum por toda a vida. [Al-Bukhari e Muslim]

 

É bem sabido que o Profeta Muhammad costumava jejuar às segundas e às quintas-feiras já que são nestas ocasiões que as nossas ações são apresentadas à Allah.

 

Esta é a forma mais simples de se desfrutar da maravilha do jejum fora do Ramadan.

 

Tome tempo para aperfeiçoar a sua oração

Uma outra parte integral do Ramadan é a oração, principlamente por causa da oração especial do Tarawih (oração noturna).

 

Rezar o Tarawih é sempre uma experiência humilde já que colocamos as nossas testas tantas vezes no chão e tão tardiamente somente por Deus. E por vezes é também durante o Ramadan que prestamos mais atenção às nossas orações obrigatórias. Este é um bom lembrete de que devemos dar mais atenção ao aperfeiçoamento das nossas orações diárias.

 

Estude a Sunnah das orações. Os seus movimentos estão corretos? As suas recitações estão corretas? O que pode fazer para alcançar um melhor foco?

 

O que pode fazer para adicionar aos seus méritos (de acordo com a Sunnah)? Quando fazemos as nossas orações estamos efetivamente a pedir por orientação, algo que nunca devemos deixar de incluir nas nossas invocações.

“Ó Senhor nosso, não desvies os nossos corações, depois de nos teres iluminado, e agracia-nos com a Tua Misericórdia, porque Tu és o Munificiente por excelência." [Qur’an 3:8]

 

Aperfeiçoar as nossas orações demonstra gratidão para com Deus, porque no Dia do Julgamento as nossas orações serão das primeiras coisas a serem questionadas.

 

Lembre-se constantemente do Dia do Julgamento

Não existe experiência mais humilde para os muçulmanos do que lembrar-se constantemente do Dia do Julgamento. O Dia do Julgamento não é nenhum rumor; foi detalhadamente registrado em várias narrações Proféticas. É vital lembrar-se do Dia do Julgamento ao longo de todo o ano, mesmo após o Ramadan.

 

Pensar frequentemente no Dia do julgamento força-nos automaticamente a sermos melhores muçulmanos, a sermos mais consciente das nossas ações, a termos mais cuidado com o nosso comportamento e a sermos mais sensatos na nossa fala.

“Toda a alma provará o sabor da morte e, no Dia da Ressurreição, sereis recompensado integralmente pelos vossos atos; quem for afastado do fogo infernal e introduzido no Paraíso, triunfará. Que é a vida terrena, senão um prazer ilusório?” [Qur’an 3:185]

 

A ideia de uma vida temporária é uma boa lembrança que tal como o mês do Ramadan que passa a cada ano, as nossas vidas também são temporárias. Elas também passam.

 

Portanto, ainda que amemos o Ramadan por todas as suas bençãos, precisamos trabalhar ativamente nas nossas vidas para que  também sejam repletas de bençãos. Esta é a única forma de alcançar o Paraíso, o mais desejado lugar de repouso na Outra Vida – e alcançar tal prazer seria dedicar-se às boas ações.

 

Encontre formas de engajar-se frequentemente em boas ações

Que tipo de ações cultivou durante o Ramadan? Gostaria de ter feito mais?

 

O Profeta Muhammad, que a paz esteja com ele, aconselhou:

“As melhores ações são aquelas que são pequenas mas consistentes.” [Bukhari]

 

Manter-se consistente em bons hábitos, em boas ações, em ajudar os outros a envolverem-se em boas ações, pagará benefícios a longo prazo. Assim como o Ramadan se vai, tenha em mente este hadith para que toda a caridade que deu durante o sagrado mês não seja em vão.

 

Todas as palavras amáveis que proferiu continuarão ao longo do ano. E todas as súplicas e dhikr (lembrança) irão se tornar extremamente leves na língua.

 

Mantenha boa companhia que lhe lembre do Ramadan

Manter boa camaradagem que recomende o bem e proíba o mal é muitas vezes a chave para qualquer dia bem sucedido para um muçulmano. Boa companhia manter-lhe-á a par de boas ações.

 

Uma boa companhia preservará o Qur’an nos nossos corações, acompanhar-nos-á às aulas religiosas e lembrar-nos-á do Ramadan ao longo ano.

 

Além disso, uma boa companhia ajudar-nos-ia a desfazermo-nos dos maus hábitos que tentamos quebrar no Ramadan. Enquanto que quebrar esses hábitos no Ramadan seja possível, o verdadeiro teste surge depois do mês terminar: pode mesmo continuar nesse caminho?

 

Esta é a melhor coisa acerca de se manter bons amigos, permite a troca de ideias, o que leva a um senso de camaradagem, tal como os companheiros que se aconselhavam mutuamente e de forma humilde pela causa de Deus.

 

O Ramadan vai e vem. Quando vem, é normal para os muçulmanos apressarem-se em realizar boas ações de forma a capitalizar no mês. Quando chega ao fim, um pouco de tristeza se instala talvez até um pouco de preocupação.

 

Afinal de contas não há nenhum mês como o abençoado Ramadan, onde existe um tipo de proteção para se empenhar em boas ações. Porém, ainda assim existem planos para todos mesmo após o Ramadan. É preciso força de vontade e lembrança constante de Deus para que isso aconteça. E tudo começa no dia seguinte ao Ramadan.

 

 

Escrito por:  Maria Zain (que Allah tenha misericórdia dela)

Fonte: aboutislam.net

Fonte da Imagem: jamesaltucher.com