O Significado de ‘as ações são apenas julgadas de acordo com as intenções’

 

 

Explicação do hadith: ‘As ações são apenas julgadas de acordo com as intenções’

[Sahih al-Bukhari #1]

 

Shaikh al-Albani (rahimahullah):

“Este hadith significa que as boas ações são apenas (satisfatórias/aceites/recompensadas) de acordo com ações sinceras, não querendo dizer que as ações que se opõem à legislação se tornem em boas ações legisladas pelo facto de serem combinadas com boas intenções. Ninguém afirmaria isso exceto uma pessoa ignorante ou alguém seguindo os seus próprios interesses!

 

Muitos indivíduos conhecem este hadith na sua expressão porém não entendem o seu significado. Por que será? Porque frequentemente voltamo-nos (para algumas pessoas) e dizemos: ‘Ya akhi [ó meu irmão], está ação que estás a fazer, ou esta afirmação que estás a dizer, não é uma ação correta.’ E qual é a resposta? ‘Ya akhi, o Mensageiro (sallAllahu ‘alayhi wa sallam) disse: ‘As ações são apenas julgadas de acordo com as intenções’ e a minha inteção é boa! A minha intenção é correta!’

 

Então qual é o significado do hadith? Quererá o hadith dizer que as más ações são apenas (satisfatórias/aceites/recompensadas) de acordo com boas intenções? Ou quererá dizer que as boas ações são apenas (satisfatórias/aceites/recompensadas) de acordo com boas intenções? Esta última explanação é o significado [correto]. Quanto às ações de um indivíduo não serem corretas embora a sua intenção seja – isto não é suficiente. Da mesma forma, também não é suficiente se for vice-versa: isto é, se as ações forem boas porém a intenção não for correta.

 

Portanto, o hadith nos dá dois opostos: tal como é uma condição para uma boa ação que haja uma boa intenção, é também uma condição para uma boa intenção que haja uma boa ação. Assim, nenhuma das duas é suficiente sem a outra.

 

Hoje em dia ouve-se muitas pessoas jurando pelos seus antepassados por exemplo, dizendo: ‘Ya akhi, por Allah, a minha intenção é boa.’ Por vezes pode-se encontrar uma pessoa dirigindo-se a uma sepultura e rezando ali – sepultura de um profeta ou de uma pessoa virtuosa ou algo semelhante – e quando é proibida disso, ela diz: ‘A minha intenção não é adorá-lo, a minha intenção é de buscar a proximidade a Allah (tawassul) através dele.’ Está bem, a sua vinda a esta sepultura – dado que a intenção é correta – é uma ação, então quererá isso dizer que constitui uma boa ação? A resposta é que não, pois o Mensageiro (‘alayhi salam) costumava dizer: ‘Não se sentem nas sepulturas e nem orem em direção a elas.’ Além disso, du’a [súplica] é parte de oração, de fato du’a é adoração conforme ele (‘alayhi salam) disse. Por isso voltar-se para uma sepultura com du’a é como voltar-se a ela com oração: é uma ação que não é correta, e esta má ação não é justificada pelo fato de a intenção ser boa, se admitirmos que a intenção é de fato boa.

 

Deste modo, para que as nossas ações sejam boas, elas devem estar de acordo com a legislação. Foi para isto a que o nosso Senhor (‘azza wa jal) apontou com a Sua afirmação no Nobre Qur’an:

“’Então, quem espera pelo deparar de seu Senhor, que faça boa ação e não associe ninguém à adoração de seu Senhor.’"

[Surah Al-Kahf (18):110]


Fonte: Silsilat ul-huda wa nur, 340/8 & nudhum al-faraid, 21 | Asaheeha translations

 

 

Fonte: Alalbaany.com

Tradução: Mariama B. Carlos

 

 

 


You have no rights to post comments