A Sunnah - Parte 3 - Preservação

Os companheiros de Rasulullah, saws, registraram, por escrito, inúmeros ahaadith, obviamente com a aprovação e sob a inspeção do profeta, saws. Entretanto esta não foi a única forma de registrá-los, pois a característica do povo árabe, comum até hoje, mesmo dentre os incrédulos, é de memorizar e utilizar a palavra como algo realmente confiável.

Eles possuem uma memória muito forte e exercitam isso. Podemos considerar que a palavra de um homem árabe também tem força, esta não como a de um ocidental. À do primeiro pode ser dada credibilidade. À época do Profeta, saws, alguns dos sahabas dedicavam parte considerável de seu tempo para o estudo e memorização dos ahaadith; muitos deles passaram a viver na mesquita para, assim, ouvir diretamente do Profeta, saws, o que ele tinha a dizer.

Os diferentes meios utilizados como preservação da sunnah estão listados abaixo:

1)    Memorização: Os companheiros costumavam memorizar os ditos do Profeta, saws, e isso era incentivado pelo próprio. Muhammad, saws, disse: “Que Allah dê vigor àquele que escuta o que digo, aprende e guarda isso no coração (memoriza), então transmite aos outros exatamente como ouviu” (Tirmidhi e Abu Dawud). Devemos frisar que aqueles muçulmanos que se encarregavam deste ofício eram pessoas tementes a Allah, swt. Tinham consciência que qualquer atribuição equivocada ao nome do Mensageiro de Allah, saws, poderia ser sua própria perdição e levando-os ao inferno. Portanto, concluímos que eles jamais incorreriam no erro de transmitir algo falso.

2)   Discussões: Os sahabas, assim que aprendiam de Rasulullah, saws, um novo dito, costumavam discutir e repassar o conhecimento entre eles. E o Profeta, saws, também incentivava esta ação, como é explicitado em dois ditos de Bukhari: “Aqueles presentes devem transmitir (minha sunnah) aos ausentes” e “Transmitam, em meu nome, para os outros, mesmo que seja um único verso”.

3)   Prática: O conhecimento da sunnah não é algo teórico ou filosófico, mas, sim uma matéria prática, que deve ser aplicada. Portanto, uma das formas de se preservar a sunnah foi sua prática. Rasulullah, saws, não limitou seus ensinamentos à teoria, ele também treinou seus companheiros de forma prática. E, por outro lado, os sahabas, de tudo que aprendiam do Profeta, saws, esforçavam-se para colocar em prática; o que observavam na conduta e nos hábitos dele, apressavam-se em copiar.

4)   Escrita: Muitos sahabas escreveram os ahaadith, logo após ouvir do Profeta, saws. No começo o profeta, saws, proibiu que escrevessem qualquer coisa, afora os versículos que eram revelados. Entretanto, esta proibição não estava diretamente ligada à autoridade dos ahaadith, mas porque Muhammad, saws, temia que seus ditos pudessem se misturar aos versículos do Qur’an. Como o Livro Sagrado ainda não havia sido compilado, como a revelação estava apenas no início, então o Profeta, saws, incentivava a memorização dos ahaadith. Um hadith do Muslim diz: “Não escreva (o que ouvir) de mim e quem quer que tenha escrito algo (que foi ouvido), deverá apagá-lo. Narre aos outros (o que ouvir) de mim; e quem quer que deliberadamente atribua uma mentira a mim, deve preparar seu lugar no Fogo".  A falta de familiaridade com a nova revelação qurânica fez com que Muhammad, saws, tomasse essa precaução; para além da dificuldade de se ter à mão material suficiente para se registrar, por escrito, e compilar um livro. O medo de que os companheiros, por falta de experiência e conhecimento do Qur’an, misturassem ambos - Qur’an e ahaadith - motivou a proibição do registro escrito naquele período. Entretanto, isso foi nos primórdios da revelação da profecia. Quando os sahabas se familiarizaram com a revelação Divina, então a proibição foi retirada. Temos algumas provas desse estágio:

  • No Tirmidhi há um relato de um sahaba, dentre os ansar, que reclamou com Muhammad, saws, que costumava esquecer os ditos que escutava do próprio Profeta. Então, ele, saws, disse: “Procure ajuda da sua mão direita”
  • Rafi Ibn Khadij, raa, disse: “Eu disse ao Profeta, saws: ‘escutamos muitas coisas vindas de você, poderíamos registrar por escrito?’ E Muhammad, saws, respondeu: ‘Sim, vocês podem, não há problema’.” (Tadribur Rawi)
  • Annas relatou do Profeta, saws: “Preservem o conhecimento por escrito” (Tirmidhi).
  • Durante a conquista de Makkah, Muhammad, saws, ofereceu seu último sermão. Havia um iemenita presente que pediu que aquelas palavras fossem registradas para ele. E o Profeta, saws, disse aos sahabas: “escreva isso para Abu Shah” (Bukhari).

E, assim como estes há muitos outros indícios claros que a partir dali a proibição - de se registrar a sunnah por escrito - já estava anulada.

Insha’Allah estas informações foram suficientes para esclarecer e reafirmar a autenticidade e autoridade da sunnah de nosso amado Profeta Muhammad, saws. Amin!


You have no rights to post comments