A Sunnah - Parte 3 - Preservação

Os companheiros de Rasulullah, saws, registraram, por escrito, inúmeros ahaadith, obviamente com a aprovação e sob a inspeção do profeta, saws. Entretanto esta não foi a única forma de registrá-los, pois a característica do povo árabe, comum até hoje, mesmo dentre os incrédulos, é de memorizar e utilizar a palavra como algo realmente confiável.

Eles possuem uma memória muito forte e exercitam isso. Podemos considerar que a palavra de um homem árabe também tem força, esta não como a de um ocidental. À do primeiro pode ser dada credibilidade. À época do Profeta, saws, alguns dos sahabas dedicavam parte considerável de seu tempo para o estudo e memorização dos ahaadith; muitos deles passaram a viver na mesquita para, assim, ouvir diretamente do Profeta, saws, o que ele tinha a dizer.

Os diferentes meios utilizados como preservação da sunnah estão listados abaixo:

1)    Memorização: Os companheiros costumavam memorizar os ditos do Profeta, saws, e isso era incentivado pelo próprio. Muhammad, saws, disse: “Que Allah dê vigor àquele que escuta o que digo, aprende e guarda isso no coração (memoriza), então transmite aos outros exatamente como ouviu” (Tirmidhi e Abu Dawud). Devemos frisar que aqueles muçulmanos que se encarregavam deste ofício eram pessoas tementes a Allah, swt. Tinham consciência que qualquer atribuição equivocada ao nome do Mensageiro de Allah, saws, poderia ser sua própria perdição e levando-os ao inferno. Portanto, concluímos que eles jamais incorreriam no erro de transmitir algo falso.

2)   Discussões: Os sahabas, assim que aprendiam de Rasulullah, saws, um novo dito, costumavam discutir e repassar o conhecimento entre eles. E o Profeta, saws, também incentivava esta ação, como é explicitado em dois ditos de Bukhari: “Aqueles presentes devem transmitir (minha sunnah) aos ausentes” e “Transmitam, em meu nome, para os outros, mesmo que seja um único verso”.

3)   Prática: O conhecimento da sunnah não é algo teórico ou filosófico, mas, sim uma matéria prática, que deve ser aplicada. Portanto, uma das formas de se preservar a sunnah foi sua prática. Rasulullah, saws, não limitou seus ensinamentos à teoria, ele também treinou seus companheiros de forma prática. E, por outro lado, os sahabas, de tudo que aprendiam do Profeta, saws, esforçavam-se para colocar em prática; o que observavam na conduta e nos hábitos dele, apressavam-se em copiar.

4)   Escrita: Muitos sahabas escreveram os ahaadith, logo após ouvir do Profeta, saws. No começo o profeta, saws, proibiu que escrevessem qualquer coisa, afora os versículos que eram revelados. Entretanto, esta proibição não estava diretamente ligada à autoridade dos ahaadith, mas porque Muhammad, saws, temia que seus ditos pudessem se misturar aos versículos do Qur’an. Como o Livro Sagrado ainda não havia sido compilado, como a revelação estava apenas no início, então o Profeta, saws, incentivava a memorização dos ahaadith. Um hadith do Muslim diz: “Não escreva (o que ouvir) de mim e quem quer que tenha escrito algo (que foi ouvido), deverá apagá-lo. Narre aos outros (o que ouvir) de mim; e quem quer que deliberadamente atribua uma mentira a mim, deve preparar seu lugar no Fogo".  A falta de familiaridade com a nova revelação qurânica fez com que Muhammad, saws, tomasse essa precaução; para além da dificuldade de se ter à mão material suficiente para se registrar, por escrito, e compilar um livro. O medo de que os companheiros, por falta de experiência e conhecimento do Qur’an, misturassem ambos - Qur’an e ahaadith - motivou a proibição do registro escrito naquele período. Entretanto, isso foi nos primórdios da revelação da profecia. Quando os sahabas se familiarizaram com a revelação Divina, então a proibição foi retirada. Temos algumas provas desse estágio:

  • No Tirmidhi há um relato de um sahaba, dentre os ansar, que reclamou com Muhammad, saws, que costumava esquecer os ditos que escutava do próprio Profeta. Então, ele, saws, disse: “Procure ajuda da sua mão direita”
  • Rafi Ibn Khadij, raa, disse: “Eu disse ao Profeta, saws: ‘escutamos muitas coisas vindas de você, poderíamos registrar por escrito?’ E Muhammad, saws, respondeu: ‘Sim, vocês podem, não há problema’.” (Tadribur Rawi)
  • Annas relatou do Profeta, saws: “Preservem o conhecimento por escrito” (Tirmidhi).
  • Durante a conquista de Makkah, Muhammad, saws, ofereceu seu último sermão. Havia um iemenita presente que pediu que aquelas palavras fossem registradas para ele. E o Profeta, saws, disse aos sahabas: “escreva isso para Abu Shah” (Bukhari).

E, assim como estes há muitos outros indícios claros que a partir dali a proibição - de se registrar a sunnah por escrito - já estava anulada.

Insha’Allah estas informações foram suficientes para esclarecer e reafirmar a autenticidade e autoridade da sunnah de nosso amado Profeta Muhammad, saws. Amin!


You have no rights to post comments

Console de depuração do Joomla!

Sessão

Informação do perfil

Memória Utilizada

Consultas ao banco