Aminah bint Wahb, que Allah esteja satisfeito com ela

 

 

O útero materno de Aminah bint Wahb foi, certamente, o mais nobre e o mais honrado de todos os úteros(1). Nele formou-se o sublime feto do profeta Muhhammad (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele). Com Sua Divina sabedoria, Allah escolheu 'Abdullah ibn 'Abdul Muttalib para ser pai do profeta e, junto de Aminah bint Wahab, o casal foi responsável por gerar esse excelente homem, que influenciou toda a humanidade. Seu pai, um jovem Qurayshi, destacou-se pela sua grandeza e beleza.

 

Seus olhos brilhavam a luz da profecia, que seria dada ao seu filho quando ele completasse 40 anos de idade. 'Abdullah foi a pessoa mais preciosa que os árabes já conheceram.

 

Este evento ocorreu conforme a determinaçao divina, mantendo-se enraizado na história da humanidade e testemunhando a vontade absoluta de Allah. Não há mudança em Suas Palavras e não há prevenção para o que Ele decretou.

“Por certo, Allah escolheu Adão e Noé, e a família de Abraão, e a família de Imrãn, sobre os mundos. São descendentes, uns dos outros. E Allah é Oniouvinte, Onisciente” [Alcorão, 3:33-34]

 

'Abdullah foi resgatado de um sacrifício e cresceu em iluminação. Uma vez, ele saiu com seu pai, ‘Abdul-Muttalib e uma mulher de Bani Asad ibn 'Abdul 'Uzza, então, encontrou-o ao lado do Ka 'bah. Ela olhou para seu rosto, que estava iluminado com a luz da profecia, e disse: "Tu serás dado como os camelos que foram sacrificados para o teu resgate, caso não te deites comigo agora."

 

Mas 'Abdullah respondeu-lhe que era melhor morrer do que cometer algo ilegal, e que um homem nobre preserva sua honra e religião.

 

Uma adivinha de TibaIah, conhecida como Fatimah Bint Murr al-Khath'amiyah, também havia visto ‘Abdullah. Essa mulher era uma das mulheres árabes mais bonitas e mais castas. Ela viu a luz da profecia no rosto de 'Abdullah. Então, ela se ofereceu em casamento a ele. Mas ele rejeitou a oferta.

 

‘Abdul-Muttalib escolheu, finalmente, Aminah bint Wahb, do clã Zuhr, como esposa para seu filho Abdullah. Aminah era, então, a melhor mulher Qurayshi em linhagem e estatuto.

 

As circunstâncias que cercaram 'Abdullah ibn 'Abdul Muttalib sobre seu início de vida e juventude, sua excelente e brilhante educação, sua castidade, sua alta conduta moral e a luz pela qual ele era conhecido, fizeram algumas mulheres desejarem se casar com ele. Então, o decreto de Allah foi cumprido e Aminah tornou-se a esposa de 'Abdullah.

 

Aminah bint Wahb foi escolhida para carregar o nobre feto do profeta. Em seu útero estava abrigado o homem que complementaria a mensagem de todos os outros profetas, que é adorar a Allah, sem parceiros. Então, o destino da família permaneceu na mão de Allah, que o dispõe como deseja.

 

A notícia de que um Profeta sairia dos filhos de lsma'il (que a paz esteja sobre ele) estava se espalhando entre os árabes, por toda a península. Essa notícia foi baseada no que o povo do Livro narrou e a partir do que está registrado na Torah, de forma implícita e explícita, bem como no que os adivinhos e astrólogos diziam.

 

Alguns meses depois de Aminah ficar grávida, 'Abdullah viajou para a Síria(2). Quando ele estava voltando, ficou doente e permaneceu com seus tios maternos da tribo de Bani Najjar em Yathrib, onde lhe ofereceram cuidados. No entanto, ele não resistiu e morreu, transformando sua jovem esposa em uma viúva. Aminah ficou muito triste com a morte de seu amado marido, que esteve em sua companhia apenas por poucos meses. Ela chorou e lamentou severamente a morte de seu companheiro.

 

A perda foi dolorosa, e mais dolorosa do que isso era a movimentação do feto no ventre de Aminah. O bebê que ela carregava tornou-se um órfão antes mesmo de nascer e de poder abrir os olhos. Então ela confortou-se consigo mesma, sendo forte e perseverante. Aminah bint Wahb também encontrou consolo em seu sogro 'Abdul-Muttalib, que cuidou dela e demonstrou-lhe compaixão. Ele a acompanhava a maior parte do tempo, abandonando-a somente em casos de necessidade.

 

Essa mãe excepcional encontrava alívio em seu bebê. Durante sua gravidez, ela nunca sentiu qualquer dificuldade ou inconveniência, fosse física ou psicológica. O que ela sentiu era o contrário disso: Aminah sentia-se confortável e à vontade. Aminah não possuía consideração pelo materialismo e isso fazia dela uma mulher singular.

 

Certa noite, Aminah bint Wahb sonhou que alguém veio até ela e disse: "Tu estás grávida do líder e Profeta dessa Ummah." Assim, Aminah continua a ter sonhos. E, mais de uma vez, os sonhos traziam boas novas, trazendo-lhe força e coragem, encorajando-a a ser paciente e elevando sua força durante a gravidez.

 

Finalmente, no segundo dia de Rabi’ul-awwal, Aminah bint Wahb dá à luz a seu bebê. O mesmo alguém que aparecia nos sonhos de Aminah bint Wahb trazendo-lhe boas notícias veio até ela e disse: "Digas, após o parto: ‘Busco proteção para ele com o Único (Allah) contra o mal de qualquer inveja. Então, nomeie-o 'Muhammad'."

 

Esse momento tem dimensões nos horizontes do tempo. Foi na primavera, antes do brilho do verão e depois do frio. Esse foi um amanhecer que tirou a humanidade da escuridão. Nesse momento as pessoas conheceriam um homem que guiaria a humanidade ao caminho correto e justo.

 

Aminah disse: "Quando o pari, uma luz saiu junto com ele, que iluminou o que está entre o Oriente e o Ocidente. A luz iluminou palácios e mercados da Síria até eu ver os pescoços dos camelos em Basra. Vi três bandeiras erguidas: uma no Oriente, uma no Ocidente e a terceira sobre a Ka'bah."

 

'Abdul-Muttalib, o avô do Profeta, veio e levou o menino Muhammad para a Ka'bah, andando em torno dela com ele e dizendo: "Louvado seja Allah que me deu esse menino muito importante, eu busco proteção para ele em Allah."

 

Alguns dos itens acima foram retirados da narração de Aminah para Halimah as-Sa’diyah, do clã de Bani Sa'd, que era a ama de leite do Profeta. Discutiremos sua vida, insha'Allah.

 

É aqui que Halimah bint Abi Dhu'ayb entrou na vida de Muhammad (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele) como sua segunda mãe.

 

Antes de começar nossa discussão sobre sua vida e os papéis que desempenhou, precisamos fazer uma rápida menção ao primeiro leite que entrou no nobre estômago do Profeta.

 

Ela é Thuwaybah, a escrava liberta pelo tio do profeta Muhammad (que a paz e as bênção de Allah estejam sobre ele), Abu Lahab (Abdul-'Uzza ibn 'Abdul-Muttalib). Ele amava muito seu irmão, 'Abdullah. Abu Lahab ficou terrivelmente triste com a morte de seu irmão. E quando Thuwaybah veio até ele e contou as boas novas do nascimento de Muhammad (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) ele ficou tão feliz que libertou-a. Esse era o hábito dos homens árabes nobre.

 

Acredita-se que Thuwaybah ficou com Aminah por alguns dias depois que o menino Muhammad nasceu. Thuwaybah também havia dado à luz a um bebê. O profeta Muhammad (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) mamou no peito de sua mãe biológica até Halimah chegar e tomá-lo dela.

A função que Halimah desempenhava na educação inicial do Profeta foi fundamental. O período de permanência com ela nas terras de Bani Sa'd foram cheios de eventos importantes.

 

 

NOTAS:
(1) Porque era o ventre que trazia o líder dos mensageiros, responsável por efetivar a missão de todos os outros profetas. Isso não significa, no entanto, que não acreditamos que Maryam bint 'Imran (mãe de Jesus, que a paz esteja sobre ele) tenha sido escolhida acima das mulheres de toda a humanidade (de seu tempo).

(2) Segundo a terminologia geográfica dos árabes, a Síria é uma região

 

 

que consiste na Palestina, Jordânia, atual Síria e Líbano. A cidade de Gaza que está na costa palestina era uma das principais cidades que os comerciantes de Qurayshi frequentavam.Fonte: Livro "An Nissa hawla an Nabi" (As Mulheres em torno do Profeta)


You have no rights to post comments