Sempre que se Sentir Desesperado, Recite estas Quatro Poderosas Du’as

 

 

Numa linda afirmação, Imam Ja’far as-Sadiq disse:

Fico pasmado com aquele que é afligido com medo, e não se refugia nas Palavras de Allah:

‘Basta-nos Allah! E que Excelente Patrono!’”

[Tradução do Qur’an, 3:173]

 

 

Pois, certamente, depois disso Allah disse:

“Então, tornaram, com graça de Allah e favor, não os tocando mal algum (...).”

[Tradução do Qur’an, 3:174]

 

E fico pasmado com a pessoa que é afligida com a tristeza, e não se refugia nas Palavras de Allah:

“’Não existe deus, senão Tu! Glorificado sejas! Por certo, fui dos injustos.’"

[Tradução do Qur'an, 21:87]

 

Pois certamente, depois disso Allah disse:

“Então, atendemo-lo, e salvamo-lo da angústia. E, assim, salvamos os crentes.”

[Tradução do Qur'an, 21:88]

 

E fico pasmado com a pessoa que é afligida com a deslealdade e a deceção pelas pessoas, e não busca refúgio nas Palavras de Allah:

“E entrego minha sorte a Allah. Por certo, Allah, dos servos, é Onividente.”

[Tradução do Qur'an, 40:44]

 

Pois certamente, depois disso Allah disse:

“Então, Allah guardau-o dos maus estratagemas de que usaram. E o pior castigo envolveu ao povo de Faraó (...).”

[Tradução do Qur'an, 40:45]

 

E fico pasmado com a pessoa que é afligida com a enfermidade, e não busca refúgio nas Palavras de Allah:

“’O mal tocou-me, e Tu és O mais Misericordiador dos misericordiadores!’”

[Tradução do Qur'an, 21:83]

 

Pois certamente, Allah disse depois disso:

“Então, atendemo-lo e removemo-lhe o que tinha de mal. E concedemo-lhe, em restituição, sua família e, com ela, outra igual, por misericórdia de Nossa parte e por lembrança para os adoradores.”

[Tradução do Qur'an, 21:84]

 

Ponderemos sobre estas súplicas, e o que as faz serem tão magníficas.

 

Recitemo-las nós mesmos nos nossos momentos de aflição, dificuldade ou tristeza para que, tal como as pessoas do passado, também nos sejam concedidos os milagrosos resultados!

 

Iniciamos a nossa jornada com o Profeta Ayyub (que a paz esteja com ele). Ele era uma pessoa influente com muita coisa boa na sua vida. Depois, adoeceu de forma súbita. Era uma doença de pele em que lhe saia pus do corpo, e todas as pessoas começaram a se afastar dele. Para além disso, após um acidente, ele perdeu muitos dos seus filhos.

 

Narrações mencionam que depois de quase 14 anos de sofrimento, ele finalmente fez esta du’a para Allah. Tudo o que ele disse foi:

“’O mal tocou-me, e Tu és O mais Misericordiador dos misericordiadores!’"

 

Três aspetos desta du’a, que fazem parte da etiqueta ao se fazer du’a, são:

1. Demonstração de sua fraqueza – ele diz para Allah que foi tocado pela adversidade, assim exprime o seu desamparo acerca da situação.

 

2. Não culpa a Allah – ele poderia ter dito, “Allah, testate-me com a adversidade”, porém em vez disso disse “o mal tocou-me”, mostrando o respeito a Allah, que compõe parte da etiqueta ao se fazer du’a.

 

3. Ele implora pela Misericórdia de Allah – apesar de tudo o que ocorreu, o Profeta ainda implora pela misericórdia de Allah. Ele não perdeu esperança na misericórdia de Allah, a despeito de tudo o que aconteceu.

 

A segunda súplica que iremos abordar é a dos companheiros do Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele) durante a batalha de Uhud. Os companheiros tinham acabado de sofrer uma grande derrota. Os Quraysh estavam a recobrar forças para uma outra rodada a fim de destruir os muçulmanos.

 

Espalhavam-se rumores de que o próprio Profeta havia morrido. E entre os muçulmanos, alguns hipócritas diziam que o povo inimigo reuniu hostes contra eles, e que as temessem! Ainda assim, os Companheiros só tiveram a sua fé acrescentada, nos momentos da grande tribulação eles disseram:

“’Basta-nos Allah! E que Excelente Patrono!’"

 

Quando todos os meios cessaram, eles confiaram os seus corações no Senhor dos meios. Eles sabiam de onde vinha a verdadeira ajuda e a verdadeira vitória. Porque Allah é o Melhor Cuidador de todos os assuntos. Ele cuida de nós enquanto nem sempre reconhecemos isso.

 

Apenas no momento em que estamos numa necessidade desesperada entendemos o quanto Allah realmente cuida de nós. E Allah os socorreu, e os salvou.

 

Quando o Profeta Ibrahim foi atirado ao fogo, ele disse a mesma súplica e Allah mudou as leis da natureza para ele, de forma a que o fogo não o queimasse. Quando Aisha foi difamada, ela fez a mesma du’a, e Allah revelou 20 versículos do Alcorão afirmando a sua inocência. O que é que podemos aprender desta du’a?

 

4. Confiar em Allah – As pessoas tentaram colocar dúvidas nos seus corações, porém eles confiaram em Allah. Elas estavam cientes de que, independemente do que acontecesse, Allah não lhes iria dececionar. Uma das chaves de se ter uma du’a aceite consta em confiar totalmente que Allah irá responder.

 

5. Deixar Allah cuidar de tudo – Não há uma folha que caia exceto que seja do conhecimento de Allah. Quando as coisas não parecem bem e não temos nenhuma ideia do que fazer e de como pedir a Allah, podemos sempre apenas confiar n'Ele e no Seu Plano, e deixar as coisas tomarem seu devido lugar, porque Ele é o Melhor Cuidador dos assuntos!

 

A partir da primeira história de paciência tremenda, à segunda de coragem inacreditável, chegamos agora à terceira da qual hoje podemos nos identificar um pouco mais – du’a após cometer um erro. Yunus (que a paz esteja com ele) foi um Profeta. Ele foi um profeta que chamou uma nação ao Islam.

 

No entanto, quando o seu povo o rejeitou, ele se zangou e abandonou-os. Embarcou num navio e atingiu-lhes [a ele e outras pessoas no navio] uma tempestade. Allah mostrou às pessoas vários sinais, e um deles era que alguém no navio devia ser atirado ao mar.

 

Eles fizeram sorteios e de todas as três vezes a pessoa apontada era o Profeta Yunus. Ele aceitou o seu destino e foi atirado do navio. Isso foi mau o suficiente. Porém, depois veio uma baleia e engoliu-o por inteiro.

 

Enquanto estava sentado na escuridão, ele lembrou-se de Allah. Era uma noite escura, e dentro de um oceano escuro, ele estava dentro da barriga de uma baleia, que também era lugar escuro. Por detrás das três camadas de escuridão ele gritou:

"Não existe deus, senão Tu! Glorificado sejas! Por certo, fui dos injustos."

[Tradução do Qur'an 21:87]

 

De seguida, Allah ordenou à baleia que o vomitasse junto à praia. Ele suplicou das profundezas da escuridão, e até hoje conhecemos esta du’a como a “du’a de Yunus”.

 

O Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele) disse que todo aquele que recitasse esta du’a ser-lhe-ia concedido aquilo que desejasse.

 

Ademais, um dos estratagemas do shaitan (satanás) é nos fazer perder a esperança em Allah após cometermos um pecado. Esta du’a é prova de que depois de fazermos um erro, devemos nos voltar a Allah ainda mais! O que é que o Profeta Yunus nos ensinou aqui acerca de du’a?

 

6. Seja o que for que ele tenha feito, não sentiu nenhuma hesitação em voltar-se para Allah durante o seu momento de necessidade.

 

7. Allah ajuda os Seus servos independentemente do que fizeram no passado.

 

8. Admitir os nossos pecados é uma das formas de as nossas du’as serem ainda mais poderosas. Isto é prova de que Allah nos agracia não por causa de quem somos, mas devido à Sua Graça e Generosidade.

 

Aproximando agora ao último dos versículos, o qual também constitui uma du’a que recitamos frequentemente quando ouvimos sobre a morte de alguém. Esta é a du’a que deve ser recitada quando ocorre uma catástrofe. Geralmente esquecemo-nos de Allah no momento de uma catástrofe. E consequentemente a lembrança de Allah nesse momento é mencionada, e logo depois disso Allah refere que essas pessoas são aquelas sobre as quais estão as Suas bênçãos e Misericórdia. Que magnífica recompensa!

 

Quando Abu Salamah, o marido de Umm Salamah faleceu, ela estava numa grande aflição. Fez esta mesma du’a e também pediu a Allah que a proporcionasse algo melhor do que aquilo por que passou. Ela interrogou-se se alguma vez encontraria um marido melhor que Abu Salamah. E eis que, o próprio Profeta Muhammad (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele) a propôs em casamento!

"Por certo, somos de Allah e, por certo, a Ele retornaremos."

[Tradução do Qur'an 2:156]

 

9. Autoria a Allah – Esta du’a é uma onde aquele que a fez torna claro que a autoria pertence a Allah. Nos nossos momentos de calamidade sentimos o controlo fugindo das nossas vidas. Esta du’a é uma clarificação de que o controlo pode nunca estar nas nossas mãos, mas que Allah possui tudo sob controlo.

 

10. Lembrança da Outra Vida – As calamidades são uma forma de Allah fazer-nos ansiar menos por este mundo, e ansiar mais pela outra vida. A vida futura é onde Allah fará certo todo o mal. E por isso, terminamos a du’a dizendo que para Ele retornaremos.

 

Estas 4 du’as ensinam-nos 10 lições cruciais em fazer súplicas a Allah. Elas nos ensinam o que há acerca delas que as tornam tão amadas por Allah, que Ele as colocou no Alcorão para serem recitadas até ao fim dos tempos.

 

Portanto, para sumarizar as 10 lições que nos ajudarão a fazer excelentes du’as, são:

  • Exprimir a nossa fraqueza;
  • Não culpar a Allah;
  • Nunca esquecer da Sua Misericórdia;
  • Acreditar que Ele vai conceder;
  • Deixá-lo cuidar do que irá acontecer;
  • Voltarmo-nos para Allah sempre que estivermos em necessidade;
  • Saber que Ele ajuda independentemente do nosso passado;
  • Admitir os nossos pecados;
  • Saber que Ele é o Autor de tudo;
  • Lembrarmo-nos da Outra Vida.

 

Fonte: aboutislam.net


You have no rights to post comments