O Jejum do Ramadan - Suas Virtudes e Etiquetas (por Shaikh Ibn 'Uthaimin, rahimahullah)

 

 

O mês de Ramadan é um dos meses sagrados para os muçulmanos. É nele que a primeira revelação desceu ao nosso amado Profeta (salallahu ‘alaihi wa sallam) e é neste mês que o muçulmano busca meios para se aproximar de Allah, aumentar sua fé e temor e ficar mais consciente de seu din. Neste mês foi prescrito o jejum, que é o único ato de adoração que Allah descreve como somente d’Ele, relatado em um hadith, no Sahih Muslim:

“Toda boa ação do filho de Adam será multiplicada, uma boa ação recebendo de dez a setecentas vezes mais recompensas. Allah, louvado seja, disse: ‘à exceção do jejum que é feito por Mim e Eu o recompensarei, já que o servo abandona sua paixão (desejo) e alimento por Minha causa.’”

 

 

Um dos efeitos do jejum é que faz com que a pessoa ganhe taqwah (piedade). Conforme Allah (subhana wa ta’ala) afirma,

“Ó vós que credes! É-vos prescrito o jejum, como foi prescrito aos que foram antes de vós, para serdes piedosos.”

[Al-Baqara:183]

 

O jejum tem tudo a ver com o agir sobre a obediência e abster-se da desobediência. Assim como disse o Profeta (salallahu ‘alaihi wa sallam),

“Quem quer que não se abstenha de falso discurso e falsa conduta, Allah não necessita da sua abstenção de comida e bebida.” [Bukhari]

 

A pessoa em jejum não deve praguejar de volta se for praguejada, como o Profeta (salallahu ‘alaihi wa sallam) disse, que ela deve dizer “Eu estou a jejuar.” Esta é uma advertência à pessoa que pragueja, assim como uma advertência à pessoa que jejua.

 

Das regras do jejum é que o coração deve estar ocupado com a lembrança de Allah. Uma vez que a pessoa passa tempo com os seus desejos, isso a levará à negligência. Para isso, o Profeta (salallahu ‘alaihi wa sallam) aconselhou-nos a não comer excessivamente. Assim como ele (salallahu ‘alaihi wa sallam) disse,

“O filho de Adam não enche um recipiente pior que o estômago, ele deve comer apenas o suficiente para que mantenha as suas costas direitas, mas se deve comer mais que isso então que deixe um terço para a comida, um terço para a bebida, e um terço para o ar.”

[Ahmad, Nasai, Ibn Majah]

 

Das sabedorias do jejum é que a pessoa afortunada saberá a quantidade das bênçãos com que Allah (subhana wa ta’ala) a agraciou, da comida, bebidas, e relações com o/a esposo/a. Muitos não são afortunados o suficiente para terem essas bênçãos. Isto também os fará lembrar dos seus irmãos que são menos afortunados que eles, que em muitos dos casos dormem com frio e fome, enquanto que eles por sua vez dormem com roupas e comida. É por isso que o Profeta (salallahu ‘alaihi wa sallam) era o mais generoso [dentre as pessoas] e mais ainda durante o mês de Ramadan, quando Jibril o visitava para lhe ensinar o Qur’an.

 

O jejum é também um exercício para controlar a alma, e o poder para parar a si mesmo. Por certo, a pessoa é inclinada para o mal, exceto para aqueles a quem Allah mostra misericórdia. Também debilita a pessoa e a torna mais humilde.

 

Ainda, no jejum o sangue torna-se menos fluente e mais constrito devido à fome e sede. Isso também fará com que o fluxo do Shaitan seja menor, já que o Shaitan certamente flui através da corrente sanguínea do filho de Adam, conforme é relatado pelo Profeta (salallahu ‘alaihi wa sallam) no Sahihein. Assim, diminuirá os sussurros do Shaitan, e os episódios de desejo e ira, tal como o Profeta (salallahu ‘alaihi wa sallam) afirmou,

“Ó jovens! Quem dentre vós for capaz de se casar, então que o faça; porque restringe o olhar e protege as partes privadas. Porém quem for incapaz, então que jejue, porque será um escudo para ele.”

[Mutaffac alaihi]

 

Portanto, o jejum é uma proteção e uma supressão dos desejos.

 

 

Etiquetas do Jejum

Saibam que existem várias etiquetas que são importantes para a realização do jejum. Há duas categorias de conduta para o jejum, sendo a primeira delas obrigatória saber, memorizar e praticar. A segunda é recomendada saber, memorizar e praticar.

 

Rezar Cinco Vezes ao Dia

Dentre a conduta obrigatória está a de manter as obrigações que Allah prescreveu para nós, tanto aquilo que devemos dizer como aquilo que devemos fazer, com o mais importante sendo as cinco orações diárias, que são um dos pilares do Islam, depois da Shahada. Portanto, é uma obrigação certificar-se de que a oração é efetuada com os seus pilares, deveres, e condições. Devem ser realizadas nos seus tempos determinados e em congregação. Pois, certamente, isso faz parte da piedade. A não observância da oração é um resultado da ausência de piedade, e é um meio para a punição, como Allah (subhana wa ta’ala) diz,

“E sucederam, depois deles, sucessores, que descuraram da oração, e seguiram a lascívia. Então, depararão uma desventura, exceto quem se voltar arrependido e crer e fizer o bem; então, esses entrarão no Paraíso - e não sofrerão injustiça alguma.”

[Maryam:59-60]

 

Juntar-se à Oração Congregacional

Algumas das pessoas que jejuam negligenciam as orações congregacionais nas mesquitas. Allah nos ordenou, num versículo, dizendo,

“E, quando estiveres, Muhammad, com eles, e lhes celebrares a oração, que uma facção deles ore contigo e tome suas armas; então, ao terminar a prosternação, que a outra facção esteja atrás de vós. E que esta outra facção, que não orou, venha e ore, contigo, e que tome suas precauções e suas armas.”

[An-Nisa:10]

 

Allah ordena-nos a orar em congregação nos momentos de combate e temor. Portanto, nos momentos de segurança e estabilidade, esta obrigação deve ter ainda mais prioridade. Mas, devemos nos lembrar que esta obrigatoriedade é para os homens, as mulheres, devido aos seus afazeres diários e suas condições particulares estão isentas dela. De qualquer forma, esta isenção não diminui a recompensa da oração em congregação, caso seja feita.

 

A pessoa que abandona a oração [em congregação] terá perdido muitas recompensas, já que, de fato, a [recompensa da] oração em congregação é multiplicada. O Profeta (salallahu ‘alaihi wa sallam) disse,

“Deveras a oração em congregação é recompensada setenta vezes mais que a oração isolado.”

[Saheehayn]

 

Abster-se da Mentira

De entre as etiquetas obrigatórias: o indivíduo em jejum deve abandonar todas as coisas haram, quer seja em ação ou discurso. Ele deve deixar a mentira, e a mentira é qualquer notícia que não seja conhecida. A pior mentira é aquela que é contra Allah e o Seu Mensageiro, e isso é feito tornando aquilo que é haram em halal e inversamente. Allah (subhana wa ta’ala) diz,

“E não digais, por alegação mentirosa de vossas línguas: "Isto é lícito e isto é ilícito", para forjardes a mentira acerca de Allah. Por certo, os que forjam a mentira acerca de Allah não são bem aventurados. Têm gozo ínfimo, mas terão doloroso castigo."

[An-Nahl,16-17]

 

No Sahihein é relatado que o Profeta (salallahu ‘alaihi wa sallam) afirmou,

“Quem quer que minta sobre mim intencionalmente, então que prepare a sua estadia no Fogo.”

 

O Profeta (salallahu ‘alaihi wa sallam) alertou-nos contra a mentira dizendo,

“Cuidado com a falsidade, pois, por certo, a falsidade leva ao pecado, e por certo, o pecado leva ao Fogo. Um homem persiste na mentira e esforça-se sobre a falsidade até que lhe é escrito como mentiroso perante Deus.”

[Mutaffac alaihi]

 

Abster-se da Calúnia

A pessoa em jejum também deve se afastar da calúnia, que é falar sobre o seu irmão na sua ausência algo que ele detestaria; independentemente se esse algo que ele detesta tem a ver com a forma como foi criado. Por exemplo, ser cego, ou algo relacionado com as suas ações, como ser tolo ou malfeitor. Independentemente de ele realmente possuir essa característica ou não. Porque o Profeta (salallahu ‘alaihi wa sallam) foi questionado sobre a calúnia a qual respondeu,

“É dizer algo sobre o seu irmão que ele detestaria.” De seguida foi perguntado, “E se ele realmente possuir essa característica?” Ele replicou, “Se ele possuir essa característica então é calúnia, se não a possuir, então é injúria.”

[Muslim]

 

Allah proibiu a calúnia no Qur’an, e deu-nos uma imagem muito distinta para imaginar, conforme diz,

“E não vos espieis. E não faleis mal, uns dos outros, pelas costas. Algum de vós gostaria de comer a carne de seu irmão morto? Pois, odiá-la-íeis!”

[Al-Hujurat:12]

 

Abster-se da Namimah

A pessoa em jejum também deve evitar a namimah, que é propagar uma má conversa entre pessoas de forma a separá-las. Esta má ação faz parte dos pecados maiores. O Profeta (salallahu ‘alaihi wa sallam) disse que este tipo de pessoas não entrará no Paraíso. Numa ocasião, o Profeta (salallahu ‘alaihi wa sallam) passou entre duas sepulturas e disse,

“Estas duas pessoas estão a ser torturadas, apesar de que aquilo que fizeram não era tão grande (aos seus ollhos); um deles não costumava se lavar após usar a casa de banho, e o outro costumava espalhar namimah.”

[Mutaffac alaihi]

 

Esta ação causa divisões na Ummah assim como causa ódio entre muçulmanos. E lembre-se, que se alguém diz namimah para você, então também a diz sobre você a outros.

 

Abster-se de Transações de Dinheiro Haram

Também devemos evitar enganar as pessoas no que toca às transações comerciais. Isto constitui um pecado maior. O Profeta (salallahu 'alayhi wa salam) declarou-se livre, e desassociou-se deste tipo de pessoas, ao dizer,

“Aquele que engana as pessoas não é de nós.”

[Muslim]

 

Esta ação traz desconfiança, e desonestidade entre pessoas. Quem quer que ganhe dinheiro disso, está apenas a ganhar haram, não aumentará a pessoa exceto em distância de Allah.

 

Abster-se da Música

Ademais, a pessoa em jejum deve evitar a música em todos os seus tipos, conforme Allah (subhana wa ta’ala) disse,

“E, dentre os homens, há quem compre falsas narrativas, para, sem ciência, descaminhar os outros do caminho de Allah, e para tomá-lo por objeto de zombaria. Esses terão aviltante castigo.”

[Luqman:6]

 

Ibn Mas’ud foi questionado sobre este versículo e respondeu,

“Eu juro por Aquele com o Qual não existe nenhum outro, de que refere-se à música.”

 

Ibn Abbas, Ibn Umar, Jabir, Ukraamah, Saeid bin Jubair, Al Hassin, e Mujahid, todos eles disseram o mesmo em relação a este versículo.

 

O Profeta alertou-nos contra a música dizendo,

“Haverão pessoas da minha Ummah, que considerarão lícitos o adultério, a seda, o álcool e os instrumentos musicais.”

[Bukhari]

 

Abster-se da Falsidade

E refreiai-vos da falsidade tanto nas palavras como nas ações, assim como o Profeta (salallahu ‘alaihi wa sallam) disse,

“Aquele que não abandona falsidade no discurso e na ação, então Allah, o Poderoso e Majestoso não necessita que deixe a sua comida e a sua bebida.”

 

Jabir (que Allah esteja satisfeito com ele) afirmou,

“Quando jejuas, os teus ouvidos, os teus olhos também devem jejuar e a tua língua deve jejuar da mentira e ações ilícitas, não prejudiques o teu vizinho; deves ter uma calma pacífica; e o dia em que jejuas não deve ser o mesmo que o dia em que não jejuas.”

 

Agora mencionaremos as etiquetas recomendadas e incentivadas:

 

Tomar o Suhur

Dentre elas está tomar o suhur (comer na última parte da noite antes do Fajr). O Profeta (salallahu ‘alaihi wa sallam) ordenou isto dizendo,

“Participem do suhur, pois certamente contém benção.”

[Mutaffac alaihi]

 

Ele (salallahu ‘alaihi wa sallam) também disse,

“A diferença entre o nosso jejum e o do Povo do Livro é o comer do suhur.”

[Muslim]

 

O Profeta (salallahu ‘alaihi wa sallam) também recomendou tâmaras para o suhur ao dizer,

“O melhor suhur para o crente são tâmaras.”

[Abu Dawud]

 

Ademais, o Profeta (salallahu ‘alaihi wa sallam) disse,

“Todo o suhur é benção, portanto não o abandonem, ainda que só tenham água para beber, porque, deveras, Allah e os Seus Anjos enviam bênçãos sobre as pessoas que comem o suhur.”

[Ahmed, com uma forte cadeia]

 

A pessoa que faz suhur deve ter a intenção de imitar o Profeta (salallahu ‘alaihi wa sallam), para que assim se torne num ato de adoração, e deve também ter a intenção de comer suhur para que lhe dê a energia de jejuar durante o dia, e dessa forma ser recompensada.

 

Zayd ibn Thabit (que Allah esteja satisfeito com ele) relatou:

“Tomamos suhur com o Mensageiro de Allah e de seguida levantámo-nos para a oração. Alguém perguntou: 'Qual foi o período de tempo entre os dois [as duas ações]?' Ele respondeu: '(O período que leva a recitar) 50 versículos [do Qur’an].'”

[Bukhari]

 

‘Aisha (que Allah esteja satisfeito com ela) relatou que Bilal (que Allah esteja satisfeito com ele) costumava fazer o adhan durante a noite, pelo que o Profeta (salallahu ‘alaihi wa sallam) disse,

“Comam e bebam até que Ibn Umm Maktum [ou seja, Bilal] faça o adhan, pois certamente ele fá-lo assim que chega o momento de Fajr."

[Bukhari]

 

Adiar o jejum torna-lo mais fácil, assim como é uma proteção contra adormecer no momento do Fajr, e visto que Allah diz,

“E comei e bebei, até que se torne evidente, para vós, o fio branco do fio negro da aurora.”

[Al-Baqara:187]

 

Apressar-se em Quebrar o Jejum

É recomendado quebrar o jejum logo que entrar o tempo de Maghrib. O Profeta (salallahu ‘alaihi wa sallam) disse que,

“As pessoas permanecerão numa boa condição desde que se apressem em quebrar o seu jejum.”

[Mutaffac alaihi]

 

A Sunnah é cortar o jejum com tâmaras frescas. Anas (que Allah esteja satisfeito com ele) afirmou,

“O Profeta (salallahu ‘alaihi wa sallam) costumava quebrar o seu jejum com tâmaras frescas antes da oração. Caso não encontrasse tâmaras frescas, então, comia tâmaras secas. Se também não encontrasse, bebia alguns goles de água.”

[Ahmad, Abu Dawud, Tirmidhi]

 

Assim que cortam o seu jejum devem suplicar pelo que quer que desejam, tal como o Profeta (salallahu ‘alaihi wa sallam) disse,

“De fato, para a pessoa em jejum, assim que quebra o seu jejum, existe um du’a que não é rejeitado.”

[Sunnan Abi Majah]

 

Fazer Uma Variedade de Boas Ações

De entre as ações que são recomendadas está o aumento na recitação do Qur’an, dhikr, du’a, oração, e caridade. O Profeta (salallahu ‘alaihi wa sallam) disse,

“As súplicas de três pessoas não são rejeitadas: a súplica da pessoa em jejum no momento em que quebra o seu jejum, a súplica de um líder justo, e a súplica de uma pessoa injustiçada. Allah faz com que as suas súplicas se elevem acima das nuvens, e as portas do Céu lhes sejam abertas, e Allah diz, ‘Pela Minha Majestade, Eu te assistirei, mesmo que seja após algum tempo.’”

[Ibn Hibban, Ahmed, Tirmidhi]

 

Ibn Abbas (que Allah esteja satisfeito com ele) descreveu que o Profeta (salallahu ‘alaihi wa sallam) era o mais generoso das pessoas, e mais ainda no Ramadan. O Profeta (salallahu ‘alaihi wa sallam) perguntou,

“Quem de entre vós está a jejuar hoje?” Abu Bakr (que Allah esteja satisfeito com ele) respondeu, “Eu estou.” Ele (o Profeta, sallallaahu ‘alayhi wa sallam) disse, “Quem de entre vós alimentou um miskin (pessoa necessitada) hoje?” Abu Bakr respondeu, “Eu alimentei.” Ele disse, “Quem dentre vós, hoje, seguiu um janazah (acompanhanou um funeral ou foi assistir ao processo de enterro)?” Abu Bakr replicou, “Eu segui.” Ele disse, “Quem de entre vós foi visitar um doente?” Abu Bakr respondeu, “Eu fui.” De seguida, o Mensageiro de Allah (salallahu ‘alaihi wa sallam) disse, “Estes traços (ou características) nunca são coletivamente encontrados numa pessoa, exceto naquela que entrará no Paraíso.”

[Muslim]

 

Louvar a Allah

O indivíduo em jejum também deve agradecer a Allah pela benção que o concedeu ao ser capaz de presenciar este mês. Muitos não conseguem colher os benefícios deste mês, quer seja porque faleceram antes do mês ter chegado, quer seja porque não estão a efetuam as suas obrigações. Portanto, devem agradecer a Allah por ter-lhes concedido a oportunidade de receber perdão, e elevação de seu estatuto.

 

Meus irmãos: devemos agir sobre as etiquetas deste mês. E seguir o caminho dos Salaf. Pois, por certo, a última parte desta Ummah não se tornará correta, até que atue sobre o que a parte precedente desta Ummah atuou em relação à obediência e ao abandono dos pecados.

 

 

Fonte: Compilação de trechos de aulas do Shaikh Ibn Uthaimin, rahimahullah.


You have no rights to post comments