Celebrar a noite do Isra' e Mi'raaj? É na noite 27 de Rajab?

 

 

Não há dúvida de que o Isra' e o Mi'raaj (Viagem do Profeta ﷺ e ascensão aos céus) são dois grandes sinais de Allah que apontam para a veracidade do Seu Mensageiro Muhammad ﷺ, e para a grandeza do seu estatuto perante Allah. São também sinais do grande poder de Allah, e da Sua exaltada posição sobre a Sua criação.

Allah diz:

"Glorificado seja Quem fez Seu servo Muhammad viajar à noite - da Mesquita Sagrada para a Mesquita Al-‘Aqsa, cujos arredores abençoamos – para mostrar-lhe, em seguida, alguns de Nossos Sinais. Por certo, Ele é O Oniouvinte, O Onividente."

[Surah Al-Isra (17):1]

 

Há relatos mutawaatir [hadith recorrente] do Mensageiro de Allah em que ele foi elevado aos céus, e os seus portões foram abertos para ele, até que passou para além do sétimo céu, onde o seu Senhor lhe falou como desejou , e prescreveu as cinco orações diárias sobre ele. Primeiro Allah, Exaltado seja, prescreveu cinquenta orações, mas o nosso Profeta Muhammad continuou a voltar e a pedir a Allah para reduzir esse número, até que Allah prescreveu cinco, por isso são cinco as orações obrigatórias, mas a recompensa é de cinquenta, porque cada boa ação é recompensada dez vezes. Para Allah, seja o louvor e agradecimento por todas as Suas bênçãos.

 

Em relação à noite em que Isra' e Mi'raaj tiveram lugar, não há nada nos ahadith sahih a indicar que foi no mês de Rajab ou em qualquer outro mês. Tudo o que foi narrado sobre uma data específica para esses eventos não pode ser provado ter vindo do Profeta, de acordo com os estudiosos de hadith. Mesmo que a data fosse provada, não seria admissível para os muçulmanos praticar atos especiais e determinados atos de adoração nessa noite, e também não é permitido celebrar essa noite, porque o Profeta e os seus companheiros nunca a celebraram de nenhuma forma. Se a sua celebração fosse algo prescrito no Islam, o Mensageiro de Allah teria dito à sua Ummah para o fazer, fosse em palavras ou em ações. Se isso tivesse acontecido, seria bem conhecido, e os companheiros do Profeta  teriam transmitido a informação a nós. Eles narraram do seu Profeta tudo o que a Ummah precisa saber, e eles não negligenciaram nenhum aspecto da religião. Se celebrar essa noite fosse prescrito no Islam, eles (os companheiros) teriam sido os primeiros a fazê-lo. O Profeta foi a pessoa mais sincera, ele transmitiu a mensagem completamente. Se venerar e comemorar esta noite fosse parte da religião de Allah, o Profeta teria feito isso e não teria ocultado. Uma vez que tal coisa não aconteceu, sabe-se que celebrá-la e venerá-la não faz parte do Islam. Allah aperfeiçoou a religião desta Ummah e completou seu favor sobre eles, e Allah condena aqueles que introduzem coisas na religião que Allah não ordenou. Allah diz no Qur'an, na Surah al-Ma'ida:

"Hoje, eu inteirei vossa religião, para vós, e completei Minha graça para convosco e agradei-Me do Islão como religião para vós."

[Surah Al-Ma'ida (5):3]

 

E Allah diz na Surah ash-Shura:

"Ou têm eles parceiros que legislaram, para eles, o que, da religião, Allah não permitiu?"

[Surah ash-Shura (42):21]

 

Nos ahadith sahih está provado que o Mensageiro de Allah nos alertou contra bid'ah (inovação) e afirmou claramente que é desorientação, de modo a mostrar à Ummah o quão sério isso é e colocá-los fora disso.

 

Por exemplo, é narrado em al-Sahihayn de Aisha (radhiAllahu 'anha) que o Profeta disse: "Aquele que introduz qualquer coisa neste nosso assunto, que não é parte dele ser-lhe-á rejeitada."

 

Num relato de Muslim diz: "Quem fizer qualquer ação que não é parte deste nosso assunto ser-lhe-á rejeitada."

 

É narrado em Sahih Muslim que Jaabir (radhiAllahu 'anhu) disse: O Mensageiro de Allah costumava dizer no khutbah da sexta-feira:

"O melhor discurso é o Livro de Allah e a melhor orientação é a orientação de Muhammad. O pior dos assuntos são aqueles que são recém-inventados, e toda a inovação conduz ao desvio". Al-Nasaa'i acrescentou com um isnaad jayyid: "e cada desvio conduz ao Fogo".

 

Em al-Sunan é narrado que al-Irbaad ibn Saariyah (radhiAllahu 'anhu) disse: O Mensageiro de Allah fez um discurso eloquente para nós, que derreteu os nossos corações e fez fluir lágrimas nos nossos olhos. Nós dissemos: "Ó Mensageiro de Allah, é como se fosse um discurso de despedida, por isso, informe-nos". Ele disse:

"Eu aconselho-vos a temer a Allah, e a ouvir e obedecer, mesmo que um escravo seja nomeado acima de vós. Quem dentre vós viver vai ver muitas diferenças, por isso lhes digo para aderir à minha Sunnah e à dos califas que virão depois de mim, e agarrarem-se firmemente a isso. Cuidado com as questões recém-inventadas, pois cada matéria recém-inventada é uma inovação e toda a inovação é desvio".

 

E há muitos ahadith com um significado semelhante.

 

Advertências contra a bid'ah (inovação) foram narradas a partir dos companheiros do Mensageiro de Allah e dos salaf piedosos depois deles, porque isso não é mais do que acrescentar coisas à religião e instituir uma religião que Allah não ordenou, e é uma imitação dos inimigos de Allah, os judeus e os cristãos, nas suas adições à sua religião, introduzindo coisas que Allah não tinha ordenado. Isso também implica que há algo que falta no Islam, que é uma religião incompleta, e sabe-se que isso leva à corrupção, e vai contra o versículo em que Allah diz:

"Hoje, eu inteirei vossa religião, para vós, e completei Minha graça para convosco e agradei-Me do Islão como religião para vós."

[Surah Al-Ma'ida (5):3]

 

Isso também vai contra os ahadith do Mensageiro, que alertam contra a inovação (bid'ah).

 

Espero que as provas que citamos sejam suficientes para convencer aquele que procura a verdade de que esta bid'ah é errada, ou seja, a inovação de celebrar a noite do Isra' e Mi'raaj, não faz parte da religião do Islam.

 

Que Allah envie bênçãos e paz ao Seu servo e Mensageiro, o Profeta Muhammad e à sua família e seus companheiros.

 

Por: Sheikh Abd al-Shaykh' Aziz ibn Baaz (rahimahullah)

 

 

Fonte: IslamQ&A

Tradução: Khadija Kha


You have no rights to post comments