Inovações no ‘Ashura

 

 

Usar Kuhl e Óleos Perfumados Especificamente para o Dia de ‘Ashura

 

 

O nosso Shaykh (al-Albani), que Allah tenha misericórdia dele, afirmou em ‘Ad Da’eefah’:2/89, que em ‘Al Mawudaat’, p. 122, al-Qari menciona que Ibnul Qayyim [1] disse:

“Os ahadith com respeito a kuhl, óleos e óleos perfumados no dia de ‘Ashura são das fabricações dos mentirosos. Em contraste, outros tornaram-no num dia de tristeza e sofrimento. Ambos os grupos são inovadores que não estão sobre a Sunnah. O povo da Sunnah segue aquilo que o Profeta – sallAllahu ‘alayhi wa sallam – ordenou, que é jejuar, e ficam longe daquilo que o Shaytan ordena das inovações.”

 

O nosso Shaykh, que Allah tenha misericórdia dele, afirmou em ‘Saheeh at-Targheeb wat Tarheeb’: 1/593, concernente ao hadith #1017:

“...existe um consenso entre os estudiosos de que jejuar no dia de ‘Ashura é uma Sunnah e não uma obrigação, quanto às celebrações e ao uso do kuhl, estes representam inovações.”

 

 

Celebrar com Presentes ou Comprá-los para Crianças no Dia de 'Ashura

 

O nosso Shaykh declarou em ‘Tamaam al Minnah’, p. 412:

“...foi por isso que Shaykul Islam ibn Taymiyyah, que Allah tenha misericórdia dele, estava convencido de que este hadith era uma mentira [2]. Ele afirmou que al-Imam Ahmad foi questionado sobre este hadith, ao que ele respondeu que não o considerava como autêntico. Fortaleceu a sua posição de que um dos Salaf não gostava de praticar isso no dia de ‘Ashura, e de que não sabe de nenhuns ahadith durante as primeiras gerações virtuosas com respeito a este assunto. Ele falou extensivamente sobre este assunto em ‘Al Fatawa’ 2/248 – 257, pelo que pode referir-se a isso.”

 

Foi afirmado em ‘Al Majd al Lughawi’ que al-Manawi declarou:

“O que tem sido narrado em relação às virtudes da oração, gasto de riquezas, uso de óleos e kuhl no dia de ‘Ashura são inovações trazidas pelos assassinos de al-Husayn.”

The Encyclopedia of Innovations: P. 719.

 

 

Expressar Tristeza, Lamentar e Permanecer num Estado de Sede

 

Ibnu Kathir afirmou em ‘Al Bidaayah wan Nihaayah’ 11/577:

“Os Rafidah foram a extremos no Império Bawiyyah durante os anos 400. No dia de ‘Ashura eram tocados tambores em Baghdad e nas redondezas, feno e cinzas eram deixados pelos caminhos e mercados, os materiais que significassem aflição eram pendurados em estabelecimentos, as pessoas exibiriam exteriormente sofrimento e choro, muitas delas não beberiam água de forma a estar em conformidade com al-Husayn, já que ele foi morto num estado de sede. Além disso, as mulheres sairiam descalças, golpeando as suas faces e peitos e outras inovações abomináveis, desejos repugnantes e distrações inventadas. Apenas intencionavam com isso difamar o Império de Bani Umayyah porque al-Husayn foi morto durante o mesmo. [Al Bidaayah wan Nihaayah: 11/577]

 

Shaykhul Islam ibn Taymiyyah afirmou:

“Devido à morte de al-Husayn, que Allah esteja satisfeito com ele, Shaytan introduziu duas inovações às pessoas. A inovação de exibir sofrimento e lamentação no dia de ‘Ashura; as pesssoas golpearem-se a si mesmas, gritando, chorando, mantendo-se num estado de sede, e por aí adiante; [foram levadas a isso] por causa da sua calúnia aos predecessores piedosos...[Minhaaj as Sunnah: 2/322]

 

 

Comemorar o 40º dia depois de ‘Ashura

 

Quarenta dias após ‘Ashura, celebram um dia a que chamam de ‘Al-Arba’een – o Quadragésimo’. Neste dia, juntam dinheiro, compram alimentos especiais e convidam pessoas. Esta inovação é praticada na Índia e no Paquistão, e ainda noutros países nos quais os Shi’ah residem, isto sem mencionar Irão, Iraque e Bahrain. [Al-Bida’ wal Hawadith – Shaykh –Abdullah at Tuwayjri]

 

 

Fazer Ghusl Especificamente no Dia de ‘Ashura

 

Todos os ahadith concernentes à prática de ghusl no dia de ‘Ashura, uso de kuhl e assim por diante do que alguns do povo da Sunnah praticam no dia de ‘Ashura em oposição aos Shi’ah, são fabricações, com a exceção do jejum. Shaykul Islam afirmou em Al-Fatawa’: 4/513:

“Algumas pessoas narraram ahadith fabricados que usaram como base para as suas práticas neste dia – dia de ‘Ashura – em oposição aos Rafidah. Assim, elas repeliram falsidade com falsidade e rejeitaram inovações com outras inovações. Apesar de as inovações dos Rafidah serem mais severas do que aquilo que elas fabricaram, tal como o hadith: ‘...quem quer que faça ghusl no dia de ‘Ashura não adoecerá naquele ano, e quem quer que use kuhl não sentirá dor nos olhos durante aquele ano.’ E ainda outros ahadith com o mesmo significado. Certamente, estes ahadith são mentiras e fabricações de acordo com o consenso daqueles que têm conhecimento da ciência do hadith [... ] Nenhum dos a’immah [plural de Imam] era da opinião de que fazer ghusl, aplicar kuhl e khidab [3] e assim por diante, no dia de ‘Ashura era recomendado, nem foi mencionado por nenhum dos ilustres sábios muçulmanos que são referidos no conhecimento daquilo que Allah obrigou e proibiu. Nem tampouco o Mensageiro – sallAllahu ‘alayhi wa sallam – praticou isso, ou Abu Bakr, ‘Umar, ‘Uthman ou ‘Ali, que Allah esteja satisfeito com todos eles. Estes ahadith também não foram coletados nos livros de hadith tais como [...] [Al-Lajnah ad-Da-imah]

 

Referências:

[1] Al-Manar al-Munif: p. 89

[2] O hadith: “Aquele que wasa’ [comemora, compra presentes, faz outro feliz, etc.] sobre si mesmo e sua família no dia de ‘Ashura, Allah fará o mesmo para ele pelo resto do ano.”

[3] Uma tinta fel semelhante à hena, usada no Iémen, principalmente nas regiões montanhosas ao redor da capital Sana.

 

 

Fonte: Subul as-Salaam [Traduzido do árabe por Abu Abdul-Waahid e Nadir Ahmad]

Tradução e adpatação: Mariama bint Carlos


You have no rights to post comments