A Shahada - É Suficiente “Proferí-la”?

 

 

A crença na Unicidade e Singularidade de Allah (Tawhid) não significa apenas aceitar que não existe Criador além de Allah, e que Allah é o Rabb (Senhor) Soberano. A pessoa que admite este facto mas que ao mesmo tempo insiste em associar parceiros a Allah na adoração, é um mushrik (aquele que comete shirk) ainda que profira diariamente a Shahada. Tawhid, no entanto, incorpora o amor de Allah sozinho; submissão, humildade, completa obediência, e sinceridade na adoração a Allah exclusivamente. Toda a nossa vida deve ser pela Sua causa. Aquele que reconhece este significado de Tawhid, compreende então a afirmação do Profeta Muhammad (sallAllahu ‘alayhi wa sallam):

“Allah proibiu a entrada no Inferno à todo aquele que diz la ilaha illal-lah [‘Não há divindade digna de ser adorada exceto Allah’] buscando o Rosto de Allah.” 

[Relatado por Al-Bukhari e Ahmad]

 

Os hipócritas podem pronunciar a Shahada porém é sabido que eles estarão na parte mais baixa do Inferno. A sua declaração não é sincera:

“Por certo, os hipócritas estarão nas camadas mais profundas do Fogo — e, para eles, não encontrarás socorredor algum (...).”

[Surah An-Nisa (4): 145]

 

É uma obrigação que a declaração da Shahada seja confirmada tanto no coração como pela língua. O coração é o “rei” e o resto do corpo é o “exército” sobre o seu comando. O Profeta (sallAllahu ‘alayhi wa sallam) disse:

“Por certo, existe no corpo um pedaço de carne, se for bom o resto do corpo torna-se bom; e se for corrupto, o resto do corpo torna-se corrupto, e este é o coração.”

[Parte de um hadith autêntico relatado por Al-Bukhari e Muslim]

 

Uma vez que a Shahada é estabalecida no coração ajudará a transformar o estatuto da pessoa, tal que o Fogo do Inferno ser-lhe-á proibida. Foi narrado que o Profeta (sallAllahu ‘alayhi wa sallam) disse:

“Quem quer que declare la ilaha illal-lah, ‘não há divindade digna de adoração exceto Allah’ e declare kufr (descrença) em tudo aquilo que é adorado para além de Allah, a sua riqueza e sangue tornam-se haram (proibido de ser prejudicado na sua riqueza e sangue) e o julgamento (sobre esta pessoa) cabe a Allah.”

[Coletado por Muslim e Ahmad]

 

O hadith citado acima é uma grande explicação para o verdadeiro significado de ‘não há divindade digna de adoração exceto Allah’. Acentua que deve haver uma completa dissociação de qualquer coisa ou qualquer um tomado como divindade além de Allah. Não pode haver nenhuma adoração dirigida a uma pessoa virtuosa, a uma estrela, lua, fogo, rio, vaca, Buddha, Ghandi, Jesus, Khomeini, Malcom X ou Y!, Farakhan, sepulturas, estátuas, dinheiro, luxúria, chefes de Estado, e assim por diante. O Islam anula todas as formas de deidades feitas pelo Homem. Quando um indivíduo descrê em adorar outro para além de Allah, ele se torna num muçulmano.

 

Claramente que os descrentes (kuffar) de Meca sabiam o que o Profeta (sallAllahu ‘alayhi wa sallam) quis dizer pela palavra que trouxe a eles de Allah: "Não há verdadeiro Deus exceto Allah.” Eles creram que Allah é o Mantenedor, Aquele que dá a vida e causa a morte. Porém quando Muhammad (sallAllahu ‘alayhi wa sallam) disse-lhes para afirmarem: “Não há divindade digna de adoração exceto Allah”, a sua resposta foi:

“Faz ele dos deuses um único Deus? Por certo, isso é cousa admirável!”

[Surah Sad (38):5]

 

Eles sabiam que a declaração da Shahada significava a revogação de tudo aquilo introduzido entre eles e Allah; um fim aos seus “deuses” intermediários. Esta foi a razão por detrás da sua rejeição.

 

Este testemunho de Tawhid é pura de qualquer falsidade. Traz a morada eterna no Paraíso àqueles que cumprem com as suas condições e com aquilo que implica. A sua rejeição traz a morada eterna no An-Nar (Inferno). Que Allah me guie a mim e a vós para que sejamos dentre aqueles que amam esta declaração assim como dentre aqueles que cumprem com o seu significado.

 

Postado a partir do eBook: “The Testimony of Tawheed - What Does It Mean” (p. 12-13) - por Saleh As-Saleh (que Allah tenha misericórdia dele)

 

 

Fonte: Abdurrahman.Org

Tradução e Adaptação: Mariama bint Carlos


You have no rights to post comments