Quem Sozinho é Digno de Adoração?

 

 

A submissão e obediência do homem ao seu Criador é a essência do Islam. O nome "Islam" foi escolhido por Deus (Allah) e não pelo homem. É a mesma mensagem revelada a todos os profetas e mensageiros de Allah e que se espalhou entre suas respetivas nações. Foi revelada a Muhammad (sallalahu ‘alayhi wa salam: que Allah exalte sua menção e salve a ele e sua mensagem de todo tipo de mal) na sua forma final e universal.


Allah é o nome de identificação ou título do Majestoso, Único e Verdadeiro Deus. Este substantivo, que é o nome de Allah, se aplica a nenhum outro senão Ele. Ele, Majestosíssimo e Altíssimo, tem outros nomes os quais derivam de Seu Nome Allah, cujo significado é o ma'looh (o que é adorado por amor, magnificação, endeusamento, anseio). Ele é o Criador: a Ele pertence o Mandamento. Nenhum louvor é digno de ser oferecido a uma pedra, estátua, cruz, triângulo, Khomeini, Farakhan, Elijas, Malcom X ou Y, Gandhi, Krishna, Gurus, Buda, Mahatma, Imperador, Joseph Smith, Sol, Lua, Diana, fogo, luz, rios, vacas, Rama, templos, Profetas, Mensageiros (Sim! Muçulmanos não adoram Muhammad (salllahu ‘alayhi wa salaam)), Santos, Padres, Monges, Haile Selassie[LC1] , estrelas de cinema, Sheiks, etc. !! Todos são seres ou coisas criadas.

 

O nome Allah não é a escolha de um homem e nem foi assim nomeado por causa de um profeta, santo ou nenhum homem famoso. O nome Allah foi referido por todos os profetas incluindo Adão, Jesus, Moisés, e pelo último e final Profeta, Muhammad (sallalahu ‘alayhi wa salam), como o Único Deus Verdadeiro que merece ser adorado sozinho.

 

A natureza inata no homem (fitrah) reconhece o que é bom ou ruim, o que é verdadeiro ou falso. Reconhece que os Atributos de Allah devem ser Verdadeiros, Únicos e Todos-Perfeitos. Não se sente confortável sobre nenhum tipo de degradação de Seus Atributos, nem relaxa com qualquer associação das qualidades humanas ao Criador. Muitos dos que se tornaram "insatisfeitos com Deus” o fizeram por causa das práticas da Igreja na Europa medieval e por causa da alegação de que “deus habita no [em um] filho”, e que “todos nascem com um pecado original”. Eles “escaparam” para a adoração de uma nova teoria chamada “mãe natureza” e “mundo material (materialismo) ”. Com o avanço das tecnologias materialistas, outros de diferentes religiões, adotaram o conceito de “esquecer-se de Deus” e “deixe-nos viver esta vida e aproveitá-la!”, não se apercebendo que escolheram a adoração do “deus original [deus de origem]” de Roma: O deus do desejo!

 

Hoje podemos ver que todo esse progresso materialista produziu um vácuo espiritual que levou a complexos problemas sociais, econômicos, políticos e psicológicos. Muitos dos que “fugiram” de suas religiões estão novamente na busca. Alguns tentam “escapar” da complexidade de suas vidas diárias através de vários meios. Aqueles que tiveram a chance de examinar o Qur’an e o Islam, procedem com um código de vida completo que requer que o homem cumpra com o propósito de sua presença na Terra. Allah não quer para o homem que ele seja escravizado por nenhuma deidade falsa: natureza, drogas, luxúria, dinheiro, outros homens [seres humanos], desejo ou sexo. Ele provê as provas de que é o Único que pode libertar o homem da escravidão a qualquer forma de criação e faze-lo voltar-se ao seu Criador somente.

 

O Criador tem atributos perfeitos. Ele é o Primeiro, não há nada antes Dele. Ele é o Último, tudo termina, exceto Ele; o Altíssimo, nada está acima Dele; o Mais Próximo, nada está além do Seu alcance e da sua compreensão,  e Ele é o Altíssimo em sua proximidade.  Ele é o Eterno, a Ele retornaremos, onde todos serão tratados da maneira mais justa e perfeita. Ele não gerou nem foi gerado. Aqueles que atribuem Divindade a Jesus se esquecem ou ignoram o fato de que ele estava no ventre de uma mãe.  Ele precisou de nutrição; nasceu e foi criado para ser um homem. Ele foi confiado com o Evangelho (Injeel) como uma mensagem para o Povo de Israel. Um homem-mensageiro, chamando sua nação não para adorá-lo. Um homem que precisa comer, andar, dormir, descansar, etc., não pode ter Atributos Divinos, pois ele tem necessidades, mas Allah, o Deus de Jesus, está muito além de qualquer imperfeição.

 

Com relação ao Budismo, Hinduísmo, Zoroastrismo, Rastafarinismo, etc., todas, de uma forma ou de outra,  são formas de adoração a coisas ou pessoas criada. Os Judeus atribuíram um sentimento nacionalista a Allah: “O Deus Tribal” de Israel. Homens e mulheres seguindo essas religiões nasceram com a tendência natural de adorar Seu Criador, Allah. Foram seus pais que os levaram às suas respectivas tradições. Uma vez expostos aos Sinais de Allah ao seu redor, ou no Qur’an, ou a alguém que lhes desencadeie a fitrah (tendência natural de adorar a Allah Sozinho), o processo de reversão começa e é por isso que vemos uma propagação universal do Islam.

 

Existem muitas distorções do Islam na mídia, mundialmente. No entanto, apesar das práticas erradas por parte de alguns muçulmanos (governantes e governados) em alguns países, aqueles que buscam a verdade estão julgando o Islam de acordo com sua doutrina. É por isso que continuamos a testemunhar um crescimento global do número de pessoas aceitando essa verdadeira religião de Allah. A oposição ao Islam se intensificará com a propagação dessa verdade no mundo. Isso não quer dizer que haja um conflito de “civilizações”, mas a verdadeira luta entre as verdades contidas no credo e princípios do Islam e as falsas doutrinas e formas de adoração. Esse é um verdadeiro desafio para os que buscam a Verdade. O homem é criado para um propósito: viver uma vida em sintonia com o caminho de Allah. Por que não? Por acaso possuímos o ar que respiramos? Fomos nós que criamos a nós mesmos ou a outros? Ou fomos nós mesmos os Criadores? Então, temos o direito de ignorar nosso Criador quando todos [sem exceção] precisamos Dele? Allah é o Justo e o Onisciente.  Ele não pretende confusão para Sua Criação.  A religião aceita por Ele é a que Ele escolheu. Sua essência deve ser Única porque Ele é O Único e Verdadeiro Deus. É a religião da submissão à Vontade e Mandamentos do Único que nos trouxe à vida, o Eterno, que jamais morrerá. É o modo de vida completo para toda humanidade. Todas estas qualidades foram escolhidas por Allah em Sua única religião: Islam.

 

Espero que ao ler o nobre Qur’an venha com um coração aberto, porque nada pode expor a verdade mais do que a Palavra de Allah. O Qur’an foi revelado ao Profeta Muhammad (sallalahu ‘alayhi wa salam) em Árabe e não é de sua autoria, já que ele era iletrado. As traduções do significado do Qur’an em diversas línguas estão disponíveis em várias livrarias ou Centros Islâmicos próximos de si.

 

Talvez você se interesse em saber como se tornar muçulmano. Para isso basta que recite abertamente a ash-shahaadah (testemunho de fé): "la ilaaha illallaah, Muhammad Rasoolullaah", que significa que não há deus verdadeiro senão Allah e que Muhammad é Seu Mensageiro. Isso, por sua vez, significa que não existe deus digno de adoração a não ser Allah, e que  Ele deve ser adorado apenas de acordo com os ensinamentos de Seu Mensageiro Muhammad (sallalahu ‘alayhi wa salam). Estes ensinamentos são melhor compreendidos através de seus companheiros, e aqueles que legitimamente seguem o caminho deles até o Dia da Ressureição. Eles são chamados as-salaf-as-saalih (Predecessores Virtuosos). Que Allah, O Altíssimo, guie-nos a todos a este caminho.

 

Dr. Saleh As-Saleh (rahimahullaah)

 

Fonte: Abdurrahman.Org

Tradução e Livre Adaptação: Lane Castelo (Laila)


You have no rights to post comments