Invocar Bênçãos Para o Profeta ﷺ


Há um hadith relatado por Abu Hurairah, no qual é relatado que o Profeta ﷺ disse: “Se alguém invocar bênçãos para mim uma vez, Allah conceder-lhe-á dez bênçãos”.

[1] Isto é porque uma boa acção é registada como dez boas acções, e invocar bênçãos para o Profeta ? é uma das coisas excelentes que um muçulmano pode fazer.

Ibn Al-Arabi disse: “Se alguém perguntasse sobre o mérito das palavras de Allah ‘Quem chega com uma boa acção terá dez vezes seu o equivalente…’, nós diríamos ‘Têm grande mérito. O Qur’an mencionou que uma boa acção é multiplicada dez vezes, e que invocar bênçãos para o Mensageiro de Allah ? é, de acordo com o Qur’an, uma boa acção que dá àquele que a faz dez níveis acima no Jardim. O Profeta ? disse que Allah abençoa dez vezes aquele que invoca bênçãos para ele uma só vez. A lembrança que Allah tem de um servo é bem superior à multiplicação de boas acções. Isto é ainda apoiado pelo facto de que Allah, Exaltado seja, concedeu ao servo que se lembra d’Ele a recompensa dele próprio ser lembrado por Allah. Da mesma forma, o servo que se lembrar do Seu Mensageiro ?, é recompensado por ser lembrado por Ele também”.

Al-Iraqi disse: “As bênção de Allah para com o servo não é a sua única recompensa, pois, como nos é dito no hadith seguinte, Ele também regista dez boas acções no livro do servo e remove dez más acções dele, e eleva-o por dez níveis”.

Anas Ibn Malik relatou que o Profeta ? disse: “Se sou mencionado na presença de alguém, ele deve invocar bênçãos para mim e se alguém invoca bênçãos para mim uma vez, Allah conceder-lhe-á dez bênçãos”. Noutra versão deste hadith, o Profeta ? disse: “Se alguém invocar bênçãos para mim uma vez, Allah conceder-lhe-á dez bênçãos, removerá dez más acções e elevá-lo-á por dez níveis”.[2]

As palavras do Profeta ? “Se eu sou mencionado na presença de alguém, ele deve invocar bênçãos para mim” parecem fazer a invocação das bênçãos para ele obrigatória nesta situação. Há ainda mais provas disto no hadith “Avarento é aquele em cuja presença sou mencionado e, no entanto, ele não invoca bênçãos para mim”.[3]

Ibn Mas’ud relatou que o Mensageiro de Allah ? disse: “Allah tem anjos a vaguear que vêm e informam-me das bênçãos que a minha Ummah invoca para mim”.[4] Ibn Mas’ud também relatou que o Mensageiro de Allah ? disse: “Os mais próximos de Mim no Dia do Juízo serão aqueles que invocam bênçãos para mim frequentemente”.[5]

A melhor altura para invocar bênçãos frequentemente para o Mensageiro de Allah ? é à sexta-feira. Aws Ibn Aws relatou que o Mensageiro de Allah ? disse: “Entre os vossos dias mais excelentes está a sexta-feira porque, nesse dia, Adão foi criado, e nesse dia ele morreu, e nesse dia a Trompa irá soar, e nesse dia virá a Hora. Então invoquem bênçãos para mim frequentemente nesse dia, pois as vossas bênçãos ser-me-ão trazidas”. Foi-lhe questionado “Ó Mensageiro de Allah, como serão as nossas bênçãos transmitidas até si quando o seu corpo se tornará parte da terra decadente?”. Ele respondeu “Allah proibiu a terra de destruir os corpos dos profetas.”[6]

Quanto à forma como a invocação das bênçãos para o Profeta ? deve ser feita, Abu Mas’ud Al-Ansari relatou: “Nós estávamos a sentar na companhia de Sa’d Ibn Ubada, quando o Mensageiro de Allah ? veio até nós. Bashir Ibn Sa’d disse: ‘Ó Mensageiro de Allah, Allah ordenou-nos a pedir por bênçãos para si, mas como é que devemos fazê-lo?’. O Mensageiro de Allah ? permaneceu em silêncio. Nós estávamos tão perturbados quanto ao seu silêncio que desejámos que ele não tivesse perguntado sobre isto. Finalmente, o Mensageiro de Allah ? disse: ‘Diz: ‘Ó Allah, abençoa Muhammad e a família de Muhammad como abençoaste Ibrahim e a família de Ibrahim. Ó Allah dá baraka a Muhammad e à família de Muhammad como deste baraka a Ibrahim e à família de Ibrahim. Certamente, Tu és merecedor de Louvor e Glorioso”, e depois diz o taslím como aprendeste’.”[7]

 

[1] Muslim, Kitab as-Salah, 4/128.
[2] Sahih, Ibn as-Sunni, ‘Amal Al-Yawm wa’l-Laylah, nº 382. Ver também Muslim, Kitab as-Salah, 4/127.
[3] Sahih, an-Nisa’i, Fadha’il Al-Qur’an, nº 125; at-Tirmidhi, Kitab ad-Da’awat, 9/531; Ahmad, Al-Musnad, 1/201; Al-Hakim, Kitab ad-Du’a, 1/549.
[4] Sahih, Ahmad, Al-Musnad, 1/387; an-Nisa’i, Kitab as-Sahw, 3/43. Ibn Al-Qayyim disse: “A corrente de narração é sahih”. Ver Jalaa’ ul Afhaam, p. 23.
[5] Hasan, at-Tirmidhi, Kitab Al-Witr, 2/607; Ibn Hibban, Mawarid adh-Dham’an, p. 594.
[6] Sahih, Ibn Ma’jah, Kitab Al-Jana’iz, 1/524; Abu Da’wud, Kitab as-Salah, 3/370; Ahmad, Al-Fath ar-Rabbani, 6/9. Al-Hakim disse: “É sahih”, no seu Kitab Al-Jumu’ah, 1/278.
[7] Muslim, Kitab as-Salat, 4/123.


You have no rights to post comments